Raupp e Prodanov discutiram o projeto do Instituto de Semicondutores nessa quarta

O ministro da Ciência, Tecnologia e Inovação (MCTI), Marco Antonio Raupp prometeu liberar R$ 50 milhões para um Instituto de Semicondutores gaúcho, projeto que visa a poiar a indústria da área no estado, e que deve se instalar em São Leopoldo.

A promessa foi feita ao secretário estadual da Ciência e Inovação, Cléber Prodanov.

Para Prodanov, o avanço das tratativas para a criação do Instituto que será desenvolvido junto ao Parque Tecnológico da Unisinos, demonstra que o governo está atuando na expansão da nova economia.

“O projeto vai colocar o Estado no mercado internacional, articulando a cadeia produtiva de chips, de forma a atrair empresas e fortalecer a Ceitec”, salienta Prodanov.

Não foram revelados, no entanto, a origem dos recursos – segundo Prodanov, o ministro disse que a pasta não tem dinheiro em caixa – nem em quanto tempo os valores seriam destinados ao projeto.

Contrapartidas do governo do estado e da Unisinos estão previstas.

De acordo com Prodanov, R$ 15,6 milhões seriam necessários ainda em 2012 para tirar o Instituto do papel. Em abril, o ministro Raupp virá ao estado visitar a Fapergs.

O objetivo do Instituto é criar um centro de referência em encapsulamento e teste de semicondutores, com formação de recursos humanos e suporte tecnológico empresarial.

Além da sinergia com o Ceitec, o instituto pode se beneficiar de outras ações envolvendo a Unisinos na área, como recentes intercâmbios com a Coreia e as operações da HT Micron.

Incremento na ampliação
Mesmo antes do anúncio desses recursos, o Tecnosinos já tem previstos R$ 10 milhões para a construção de dois novos edifícios até o final do ano. As novas instalações vão agregar cerca de 9 mil metros quadrados extra de espaço ao parque.

Um dos novos prédios, com 3 mil m2, será destinado a abrir 30 novas empresas incubadas, dobrando o total de novos empreendimentos instalados no parque para 60, o que levaria o Tecnosinos a ser o maior incubador de novos negócios do Rio Grande do Sul e um dos maiores do Brasil.
 
Esse prédio será financiado com R$ 2,37 milhões com R$ 1,86 milhão do governo gaúcho através do PGTec e R$ 515 mil de contrapartida da Unisinos.
 
Outro edifício será destinado a empresas já consolidadas, com 6 mil m2 de área total.

Parte da obra será financiada com R$ 1,8 milhão vindo com a Finep e uma verba de até R$ 6 milhões por parte da Associação Antônio Vieira, a mantenedora da universidade jesuíta.