Meninas podem ser treinadas para diminuir a disparidade de gênero em habilidades espaciais, que incluem matemática, ciência e engenharia. É o que afirma um estudo realizado pelos pesquisadores israelenses David Tzuriel e Gila Egozi, da Universidade Bar-Ilan.

O estudo foi realizado com 100 meninos e meninas do ensino fundamental de Israel, que foram divididos em dois grupos, experimental e controle. No final do experimento, a habilidade espacial das meninas da equipe experimental foi superior a dos meninos do grupo de controle.

A atividade revelou que as mulheres do grupo experimental, que começaram em nível inferior de compreensão, conseguiram reduzir a diferença em relação aos meninos e alcançar maior progresso do que eles.

“Os homens são melhores do que as mulheres em habilidades espaciais, mas isso não significa que elas não possam desenvolver potenciais. O estudo demonstrou que um atributo considerado genético pode ser modificado, sendo possível melhorar o desenvolvimento cognitivo”, completa Tzuriel.