Em dez anos, o Vale do Itajaí aumentou sua participação no Produto Interno Bruto (PIB) catarinense, que hoje soma R$ 123,28 bilhões, de 24,5% para 27%.

Entre 1999 e 2008, a soma das riquezas da região subiu de R$ 9 bilhões para R$ 33,2 bilhões – salto de 265%, informa o Noticenter.

O Norte também registrou avanço: representava 22,8% da economia do estado há dez anos e agora responde por 23,8%, passando de R$ 8,5 bilhões para R$ 29,4 bilhões, incremento de cerca de 247%.

Todas as demais regiões – Grande Florianópolis, Oeste, Sul e Serra – perderam espaço no período, segundo dados do IBGE.

O levantamento revela que houve apenas uma alteração entre as dez maiores economias do estado de 2007 para 2008. Lages, com PIB de R$ 2,36 bilhões, recuperou a décima colocação perdida por Brusque no ano anterior.

Se considerados os números dos últimos dez anos, no entanto, as alterações são mais visíveis.

Em 1999, Blumenau, hoje quarta colocada, ocupava a segunda posição, lugar que atualmente é de Itajaí, quinta na época.

Já São Francisco do Sul subiu sete degraus no período, passando da 15ª para a oitava colocação.

Joinville e Florianópolis mantiveram, respectivamente, o primeiro e o terceiro lugares.

Regiões campeãs
O destaque do período fica por conta de Itajaí, que viu seu PIB evoluir 566% entre 1999 e 2008 – de R$ 1,52 bilhão para R$ 10,18 bilhões. Foi o terceiro maior avanço do estado, atrás de Barra Velha, que subiu 422,5%.

O PIB de Blumenau cresceu 161% e alcançou a marca de R$ 7,39 bilhões, liderando a lista.

No Norte, o avanço mais expressivo foi de Garuva (615%). Com crescimento de 237%, o PIB de Joinville atingiu R$ 13,22 bilhões, o mais elevado entre os municípios catarinenses.

São João Batista liderou o crescimento na Grande Florianópolis, com expansão do PIB de 405%.

A capital Florianópolis apresentou variação positiva de 209%, somando R$ 8,12 bilhões.

No Sul, Criciúma cresceu 163% (R$ 2,79 bilhões) e Tubarão, 155% (R$ 1,62 bilhão).

Na Serra, Lages avançou 218% (R$ 2,36 bilhões), enquanto no Oeste, Chapecó contabilizou alta de 153% (R$ 4,29 bilhões).

Em todo o estado, pelo sétimo ano consecutivo São Francisco do Sul liderou o ranking do PIB per capita, com R$ 80.395,57, 74,5% a mais do que Itajaí, segunda colocada, com R$ 59.928,37.

Treze Tílias, no Oeste catarinense, figura na terceira colocação, com R$ 52.557,02.

Joinville aparece na 25ª posição (R$ 26.865,04), Blumenau na 31ª (R$ 24.958,67) e Florianópolis na 61ª (R$ 20.184,09).

A cidade de Cerro Negro, na região Serrana, tem o menor PIB per capita do estado: R$ 6.910,21.

No país
Nacionalmente, seis capitais concentram 25% do PIB, segundo dados do IBGE referentes a 2008: São Paulo, Rio de Janeiro, Brasília, Curitiba, Belo Horizonte e Manaus.