Gaúchos e coreanos estão estreitando ainda mais suas relações.

Nessa semana, o governo do estado do Rio Grande do Sul e a Coreia do Sul assinam dois convênios de intercâmbio de alunos e pesquisadores brasileiros e coreanos nas áreas de engenharia e tecnologia.

Três universidades coreanas fazem parte da parceria: as de Kaist, Postech e Yonsei.

Pelo programa Ciência sem Fronteiras, do governo federal, deverão ser concedidas até 75 mil bolsas, mirando nos intercâmbios. Dados em quatro anos, os incentivos visam à consolidação, expansão e internacionalização da ciência, tecnologia e inovação brasileira.

Os convênios fazem parte da programação da reunião Brasil-Coreia, que se realizará na quarta-feira, 19, e também prevê o lançamento do edital Fapergs do Programa de Bolsas de Estudo no Instituto Pasteur da Coreia do Sul.

As parcerias são fruto da missão gaúcha que esteve na Coreia em maio desse ano.

Joint venture inaugura fábrica
Dois dias antes da reunião, nessa segunda-feira, 17, será "retirado do forno" o primeiro lote comercial de chips encapsulados no Rio Grande do Sul, no primeiro dia do 1º Fórum Brasil – Coreia do Sul em ciência, tecnologia e inovação.

A HT Micron, joint venture formada pela coreana Hana Micron e pela brasileira Parit Participações, é a produtora das peças.

O evento também marca o lançamento da obra da fábrica (de aproximadamente 9 mil m2), onde ficará instalada definitivamente a HT Micron, em São Leopoldo, a 27 quilômetros de Porto Alegre.

A partir de 2012, com a inauguração da infraestrutura definitiva, a empresa ampliará a sua atuação.