Uma possível greve da TI de São Paulo só deve acontecer a partir da terça-feira, 22.

O dia é a data da segunda audiência entre Seprosp e Sindpd no Ministério Público do Trabalho, quando uma procuradora deverá apresentar uma proposta de índice de reajuste para as duas partes. A primeira aconteceu nesta sexta, 18.

As principais reivindicações do sindicato são 11,9% de aumento salarial linear, desenvolvimento de plano de Participação em Lucros e Resultados, auxílio-refeição de R$ 15 por dia e ampliação de pisos.

O sindicato patronal oferece reajuste salarial de 6,47%, a reposição da inflação.

Na versão do Sindpd, a reunião de hoje foi positiva para as reivindicações do sindicato.

De acordo o presidente do Sindpd, Antonio Neto, a procuradora, já teria adiantado que a PLR é um direito constitucional e uma obrigação da empresa e que o vale refeição é fundamental.

Além disso, o Sidpd afirma que todas as categorias tiveram um aumento real de salário entre 1,5% a 3%, dependendo do setor, o que não ocorre na negociação com a categoria de TI.

“No caso de uma ação judicial, é fundamental ficar comprovado que os trabalhadores estão tentando de tudo para chegar a um acordo”, afirma Neto, destacando que o estado de greve está mantido.