Com R$ 1,48 bilhão a menos para o ano, o Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação já reconhece que terá dificuldades para manter todos os projetos da pasta em 2012.

A baixa representa 22% dos R$ 6,7 bilhões previstos inicialmente para a pasta.

Segundo o titular do ministério, Marco Antonio Raupp, os corte serão feitos nos projetos não prioritários. Além disso, a pasta tentará parcerias para manter o equilíbrio nas finanças.

“Conseguindo parcerias a gente vai superando essas dificuldades, mas evidentemente temos que trabalhar sempre para não ter cortes”, Disse Raupp.

Projetos no RS
Um dos projetos que seguem sem fonte garantida é o de um Instituto de Semicondutores em São Leopoldo, no Rio Grande do Sul.

Na semana passada, Raupp manteve um encontro com o secretário estadual da Ciência, Tecnologia e Inovação, Cléber Prodanov, no qual conheceu a proposta de um centro de excelência para o setor no estado, e prometeu R$ 50 milhões para as obras.

Raupp reconheceu, no entanto, que a maior contribuição da pasta federal seria com o prestígio, já que o ministério não tem os recursos em caixa para esse tipo de investimento.