A Assembleia Legislativa do Rio Grande do Sul aprovou nesta terça-feira, 19, um projeto que  obriga a tradução de expressões ou palavras estrangeiras para o português nos documentos públicos, sempre que  houver no idioma uma palavra ou expressão equivalente.

De autoria do deputado Raul Carrion (PcdoB), a lei vale para órgãos, instituições, empresas e fundações públicas. A votação foi apertada:  26 votos a favor e 24 contrários.

O texto da proposta diz ainda que, nos casos excepcionais, em que não houver na língua portuguesa palavra ou expressão equivalente, o significado da palavra estrangeira deverá estar escrito, logo após sua utilização no texto.

“O  que print contribui se temos a palavra imprimir? É macaquice, querer aparecer. Parece que falar em português é feio, vergonhoso. O bonito é falar estrangeiro”, declarou Carrion no plenário.

Resta saber agora como vão se virar a Procergs e os departamentos de TI da administração pública estadual para traduzir todos os termos em inglês usados cotidianamente na área.