O Tecnosinos deve inaugurar até o final de 2012 dois novos edifícios que vão agregar cerca de 9 mil  m2 extra de espaço ao parque tecnológico localizado em São Leopoldo, com investimentos totais na ordem de R$ 10 milhões.

 
Um dos novos prédios, com 3 mil m2, será destinado a abrir 30 novas empresas incubadas, dobrando o total de novos empreendimentos instalados no parque para 60, o que levaria o Tecnosinos a ser o maior incubador de novos negócios do Rio Grande do Sul e um dos maiores do Brasil.
 
Esse prédio será financiado com R$ 2,37 milhões com R$ 1,86 milhão do governo gaúcho através do PGTec e R$ 515 mil de contrapartida da Unisinos.
 
Outro edifício será destinado a empresas já consolidadas, com 6 mil m2 de área total. Parte da obra será financiada com R$ 1,8 milhão vindo com a Finep e uma verba de até R$ 6 milhões por parte da Associação Antônio Vieira, a mantenedora da universidade jesuíta.
 
As novas construções devem desafogar o parque, uma vez que a Partec, construída por um consórcio de empresas locais, e o Padre Rick, iniciado por investidores e adquirido pela Unisinos, estão próximos de esgotar sua capacidade. Juntos eles tem cerca de 14 mil m2 de área.
 
“O faturamento das empresas como um todo vai crescer 37% em 2011, chegando a cerca de R$ 1,3 bilhão. São 73 negócios instalados e quase 4 mil empregos”, aponta Suzana Kakuta, diretora Executiva do Tecnosinos. 
 
Além da expansão física, o Tecnosinos conta com recursos extras de R$ 2,5 milhões, oriundos do PGTec e Finep, que serão aplicados na contratação de consultorias para as incubadas, obras de infraestrutura incluindo uma sala de videoconferência, um showroom para empresas e incentivo à participação em feiras como a Cebit 2012, na Alemanha, e a Gitex, em Dubai.