O governo gaúcho trabalha com a meta de ampliar de 2% para 10% a participação das empresas gaúchas como fornecedoras de insumos e equipamentos para a Petrobras.

A meta foi divulgada nesta terça-feira, 22, durante uma visita ao estado do  presidente da Petrobras, José Sergio Gabrielli.

“A Petrobras investirá R$ 224 bilhões até 2014. O nosso setor tem crescido rapidamente e queremos que as empresas gaúchas se preparem e participem deste novo momento”, destacou o presidente da Petrobras.

Gabrielli lembrou que hoje existem 146 grupos gaúchos cadastrados e habilitados dentro da cadeia nacional de fornecedores de bens e serviços da Petrobrás, número que pode e deve crescer, disse.

Entre 2010/2014 a Petrobras investirá R$ 1,9 bilhão no Estado.

Na Unisinos
Parte do esforço do Rio Grande do Sul por aumentar a participação na cadeia de fornecedores da Petrobras já acontece na Unisinos, em São Leopoldo.

Em novembro do ano passado a universidade obteve R$ 4,9 milhões em verbas junto à Finep para o  Instituto de Tecnologia em Automação para a Cadeia do Pré-sal, uma iniciativa em parceria com  Organização Nacional da Indústria do Petróleo e Abinee.

Instalado no Tecnosinos, o instituto deve oferecer serviços design, prototipagem e mecânica fina para produtos de automação e um laboratório de ensaios e testes de avaliação de conformidade em segurança, focados na cadeia de fornecedores da exploração do pré-sal, orçada pela Petrobras em US$ 33 bilhões até 2014.

O projeto já havia recebido verbas de R$ 1,5 milhão por meio de uma emenda parlamentar do então deputado federal  Nelson Proença (PPS-RS).