A alta do petróleo pode impactar o setor de eletrônicos.

Segundo economistas, se o óleo continuar em ascensão em função dos conflitos do Oriente Médio, fabricantes asiáticas serão obrigadas a gastar mais com transporte de matérias-primas. Além de encarecer, o petróleo, que chegou a quase US$ 100 o barril nessa semana, pode frear a inovação.

“Creio que a alta do petróleo atingirá também o usuário final”, disse Tim Condon, da ING de Singapura, ao IDG Now.

Para o consultor, os efeitos vão além. Com a redução da demanda, os estoques se acumularão e mais pessoas serão demitidas no meio da eletrônica.

De acordo com Condon, materiais como plásticos para computadores ou substâncias químicas para celulares também terão custo maior caso as petroquímicas tenham que pagar mais pela matéria prima.

Elas, por sua vez, repassarão 80% do que gastarem a mais ao preço que cobram usualmente de seus clientes, afirma Wai Ho Leong, economista da Barclays Capital de Singapura.

Se a cotação do petróleo continuar próxima de US$ 100 o barril – e a violência na Líbia poderá elevá-la ainda mais – pelos próximos seis a doze meses, as fabricantes terão dificuldades.

“Já estamos observando certa moderação quanto a isso”, admitiu ao IDG Now Joanna Tan, economista da Forecast Ltd.

Em 2008, o valor do óleo chegou a US$ 140 o barril, o que contribuiu para uma desaceleração no crescimento do mercado de computadores da Índia.