José Eduardo Fiates

Após o investimento de R$ 23 milhões anunciado pela Softplan/Poligraph no Sapiens Parque, o polo tecnológico de Florianópolis deve levar um novo aporte, em torno de R$ 22 milhões, com a abertura de três editais para construção de prédios para uso empresarial.

Os editais serão abertos no início de setembro e a previsão é consolidar os resultados até fim de outubro.

“Se todos os editais tiverem vencedores, estaremos falando de investimentos na casa dos R$ 22 milhões”, afirma o diretor Executivo do Sapiens, José Eduardo Fiates.

Dos três editais, os dois primeiros são para prédios com área total de 3,7 mil m² e 7,5 mil m², e o terceiro, para edifícios com área de 3,8 mil m², estes já em construção.

Incubação
Ainda no começo de setembro, o Sapiens também vai abrir um novo processo seletivo para ocupação da incubadora InovaLAB, que hoje conta com seis empresas instaladas.

A meta é instalar mais três companhias no local.

Phillips
Outro projeto é a implantação, até 2012, de um laboratório da Phillips para desenvolvimento da tecnologia OLED (Organic LED) na InovaLAB.

A nova unidade será a segunda do mesmo modelo mantida pela empresa alemã na capital catarinense - hoje, a Phillips tem um laboratório como este instalado no LabElectro, da Fundação Certi.

Até agora, o Sapiens Parque abriga 10 empresas, sendo seis na incubadora e quatro nas demais áreas – sem contar a Softplan/Poligraph, que instalará operações por lá quando for inaugurado o primeiro prédio, em 2015, ampliando-se para mais uma torre dois anos depois, em uma área total de 15 mil metros quadrados.

Conselhos

Além das novas companhias a se instalarem, o polo de TI catarinense tem, ainda, outras novidades.

A criação de Conselhos Consultivos, por exemplo.

“Serão conselhos focados nos segmentos empresarial, técnico-científico, político-institucional e de sustentabilidade”, conta Fiates. “Nosso intuito é incluir toda a sociedade civil na discussão deste projeto para o futuro de Santa Catarina, tanto na geração de empregos quanto na produção de conhecimento”, complementa o presidente do Sapiens, Saulo Vieira.

Ainda segundo o presidente, os conselhos funcionarão como fóruns de compartilhamento de ideias e ações.

“Isso será fundamental para o sucesso das iniciativas que nascem e se desenvolverão aqui”, finaliza Vieira.