Suzana Kakuta

O Tecnosinos, parque tecnológico instalado em São Leopoldo, foi eleito o melhor do Brasil em 2010 pela Associação Nacional de Entidades Promotoras de Empreendimentos Inovadores (Anprotec).

O anúncio foi feito nesta quinta-feira, 23, durante o  XX Seminário Nacional de Parques Tecnológicos e Incubadoras de Empresas, realizando em Campo Grande.

“Somos hoje um parque com maturidade, que atrai não só empresas nacionais, mas empreendimentos de renome internacional. As parcerias consolidadas, ao longo dos últimos anos, possibilitaram o surgimento de uma nova matriz econômica para a região”, destaca Susana Kakuta, gestora executiva do Tecnosinos.

O parque leopoldense abrange hoje cerca de 60 empresas de base tecnológica, entre incubadas e consolidadas, atuantes nas áreas de TI,  automação e engenharia, comunicação e convergência digital, alimentos funcionais e nutracêutica e tecnologias socioambientais e energia.

O faturamento das companhias instaladas foi de  R$ 1 bilhão em 2009, ano no qual foram criadas  35 novas tecnologias, 113 novos produtos e 48 registros de propriedade intelectual. Estão instadas no Tecnosinos multinacionais como alemã SAP, a indiana HCL, a americana Disys, além de grandes companhias gaúchas como Meta, CWI e SKA.

Só a instalação da joint venture brasileiro-coreana para fabricação de chips HT Micron deve adicionar US$ 1 bilhão em faturamento até 2014.

Em uma projeção divulgada em novembro de 2009, antes do anúncio da vinda da HT, os gestores do Tecnosinos  estimaram que em 2019, o Vale do Sinos como um todo deve abrigar 300 companhias de tecnologia de diversos portes, coroadas por um grupo de 20 grandes empresas que serão as âncoras de um cluster de alta tecnologia centralizado em São Leopoldo, no qual trabalharão 5 mil pessoas.

O Tecnosinos é administrado pela Unisinos, Prefeitura de São Leopoldo, Associação Comercial, Industrial e de Serviços de São Leopoldo (Acis-SL) e da Associação de Empresas do Polo de Informática (AE Polo).

Criada em 1987, a Anprotec agrega hoje 272 entidades associadas, que representam cerca de 400 incubadoras de empresas e 6,3 mil empreendimentos inovadores, que juntos geram aproximadamente 33 mil postos de trabalho no país.

No Brasil, existem hoje aproximadamente 75 parques tecnológicos, distribuídos em operação, implantação e planejamento.