A varejista Salfer, presente em Santa Catarina e Paraná, vem se destacando como uma das que mais cresce no país: em 2010, a empresa expandiu o faturamento, chegando a R$ 700 milhões em 2010, alta anual de 30%, e mira R$ 1 bilhão para este ano.

Assim como a Salfer, outras redes demonstram o mesmo movimento – caso da Cybelar, no interior de São Paulo; Esplanada, no Ceará; e Big Ben, no Pará, que faturam, hoje, entre R$ 400 milhões e R$ 1,5 bilhão.

Alguns fatores, como questões tributárias, profissionalização da gestão e proximidade com o público alvo, devido à característica regional, explicam esta ascensão, conforme especialistas de varejo ouvidos pela Exame.

Fato é que, no caso da Salfer, tais fatores se traduziram em crescimento não só da receita, mas também da presença física - foram 83 novas lojas desde 2009, chegando a 200, atualmente.

A equipe também se expandiu e, hoje, soma 3,1 mil empregados diretos.

Para chegar ao R$ 1 bilhão projetado para este ano, a estratégia da companhia também conta com impulso do BNDES.

A organização contratou junto ao banco, em 2009, um empréstimo de R$ 20 milhões, que foi investido na duplicação de um centro de distribuição e na inauguração das novas lojas. 

Hoje, conforme o presidente da Salfer, Vanderlei Gonçalves, a marca é líder tanto em Santa Catarina quanto no Paraná.

Além disso, o executivo garante que a rede já tem corpo para competir em escala com qualquer grande rede nacional.