A Lupatech confirmou nesta sexta-feira, 25, que está em negociações com o BNDES para buscar uma alternativa para sua crise financeira.

Só com o anúncio, as ações da empresa subiram mais de 20% ao meio dia de hoje, depois de recuarem 48% ao longo da semana, com os temores de que a empresa estaria próxima de um calote, depois de reportar dívida de R$ 1,2 bilhão, o equivalente a mais de 17 vezes a geração de caixa anual.

Detentor de 11% do capital da empresa, o BNDES informou nesta manhã que tem como objetivo fortalecer a cadeia de fornecedores para gás e petróleo, além de confirmar que está em tratativas com a Lupatech a respeito de “alternativas de mercado” para fortalecer a companhia.

Em comunicado, a Lupatech afirmou que está “comprometida em viabilizar a execução” de um plano de investimentos que “permitirá acessar importantes oportunidades de crescimento nos próximos anos”.

De acordo com informações do Valor Econômico, desde a quinta-feira, 24, a capitalização da fornecedora nacional de equipamentos para a indústria de petróleo tem sido tratada por seus sócios, incluindo BNDES e Petros, fundo de pensão da Petrobras.

Uma das possibilidades em estudo é a busca de um investidor para a companhia.

Previsto
A dificuldade financeira enfrentada hoje pela Lupatech é reflexo de um risco oportunamente esclarecido pela companhia para os investidores que quiseram participar da estreia da companhia na bolsa, em 2006, informa o valor.

"Caso a Petrobras não implemente total ou parcialmente ou altere seu plano de negócios ou reduza seus investimentos, poderemos ser adversamente afetados", descreveu a companhia no prospecto da sua oferta pública inicial de ações, que movimentou R$ 483 milhões, dois quais R$ 328 milhões ficaram nas mãos dos antigos sócios.

O que era apenas um fator de risco virou realidade com o agravamento da crise financeira em 2008.

Na ocasião, a principal cliente da Lupatech, a Petrobras, adiou suas encomendas.

A matéria do Valor pode ser conferida na íntegra, por assinantes, pelo link relacionado abaixo.