Uma pesquisa mundial realizada pela Manpower revela que 25% dos empregadores enfrenta inflação salarial devido à escassez de mão-de-obra qualificada no mercado. O levantamento, feito entre julho e agosto deste ano, junto a 32 mil empresários de 26 países, demonstra também que 29% dos entrevistados gostariam de contratar profissionais mais gabaritados do que aqueles que ocupam postos em suas companhias, mas não o fazem pela falta de recursos humanos especializados.

O estudo mostra que a inflação salarial detectada é mais recorrente nas Américas, Ásia e Oceania. Em Cingapura, 55% dos empregadores enfrentam este problema, contra 46% no Peru, 45% no Japão, 41% no México, 40% na Nova Zelândia, 38% na Austrália e 21% nos Estados Unidos. "A escassez de talentos existe e acarreta aumento dos salários em áreas especializadas, como os setores industrial e de tecnologia", afirma o diretor geral da Manpower Brasil, Augusto Costa. "Como a tendência é crescente, os empregadores terão de se esforçar para reter e otimizar seus profissionais", conclui.

Na Europa, entretanto, o cenário é diferente. Conforme mostra a pesquisa, o continente possui a menor taxa de insatisfação com relação à procura de mão-de-obra qualificada do mundo. Na Bélgica, 15% dos empregadores se queixa do problema, enquanto nos Países Baixos este índice é de 13%. Na França, fica em 12%.