Foto: Roland/Flickr

O Brasil é o mais otimista, entre 17 países ouvidos em pesquisa da empresa de recrutamento Robert Half, em relação ao aumento das médias salariais nos próximos meses.

 
Conforme o estudo, 80% dos diretores de recursos humanos brasileiros acreditam que os salários irão aumentar nos próximos 12 meses – pouco mais que o dobro da média mundial, que é de 39%.
 
Ao todo, a Robert Half entrevistou 1.876 profissionais de RH. 
 
Conforme Fernando Mantovani, diretor de operações da empresa, os números do Brasil revelam não apenas a ascensão do país na economia mundial, mas também a dificuldade em se encontrar mão de obra qualificada.
 
Além disso, apesar de alta, a expectativa dos RHs brasileiros reflete também cautela, em se tratando de aumento salarial para este ano. 
 
“No Brasil, cada aumento de R$ 1 no salário mensal se transforma em quase R$ 2 por causa dos custos atrelados. Por isso as empresas investem mais em estratégias de benefícios e remuneração variável”, ressalta o consultor. 
 
Para o próximo ano, a expectativa de reajustes salariais dos executivos de RH do país supera a chinesa, que ficou em 74%. 
 
A terceira posição no ranking vem da Austrália, com 49%; seguida por Alemanha, com 39%; Inglaterra, com 29%; e França, com 22%.
 
Em 2011, o estudo aponta que o ritmo do crescimento de salários foi de, em média, 20%. 
 
Este ano, a Robert Half prevê uma desaceleração, baseada nas próprias respostas dos RHs. 
 
Entre os brasileiros, por exemplo, a projeção de aumento dos salários este ano teve maioria na resposta “mais de 10%”.