Presidente Dilma quer 75 mil bolsas para estudos no exterior

A presidente Dilma Rousseff quer financiar 75 mil bolsas de estudo no exterior.

O objetivo é combater a escassez de mão de obra qualificada no Brasil. Somente na área de TIC, indica estudo da Associação Brasileira de Empresas de Tecnologia da Informação e Comunicação (Brasscom), serão 92 mil vagas não preenchidas por falta de profissionais até o final do ano.

“O governo tem preocupação com a formação de estudantes capacitados para virarem os nossos futuros cientistas”, disse Dilma.

Em reunião no Conselho de Desenvolvimento Econômico e Social (CDES), Dilma pediu a ajuda do setor privado para criar as bolsas de estudos até 2014.

Para a presidente, com ajuda das empresas, o número de benefícios pode subir.

“Eu acredito que o setor privado pode comparecer com uma ajuda aos estudantes brasileiros ou ao Brasil de forma que nos permita chegar a 100 mil”, disse.

Sem dar detalhes, Dilma mencionou ainda o lançamento, em breve, de um programa para capacitação técnica e profissional para tentar reduzir a escassez de mão de obra qualificada no país.

Na avaliação de Dilma, a escassez de mão de obra qualificada é um dos “bons problemas” que o país tem pela frente, já que de acordo com estatísticas do IBGE o desemprego no Brasil é de 6,5%, taxa considerada como situação de pleno emprego.