O número de imigrantes que receberam visto de trabalho no país aumentou 13% no primeiro trimestre de 2011 em relação ao mesmo período do ano anterior, atingindo 13 mil pessoas.

O aumento é contínuo: em 2009, foram 9,8 mil vistos.

Segundo dados do Conselho Nacional de Imigração, vinculado ao Ministério do Trabalho, divulgados pelo jornal Valor Econômico, os Estados Unidos continuaram sendo a principal fonte de imigrantes, com 1,8 mil trabalhadores.

O grupo com maior crescimento, no entanto, foram os chineses, que totalizaram 505 autorizações para trabalhar no Brasil, 100 a mais do que no período anterior. Em 2010, 2,1 mil chineses começaram a trabalhar no país.

Os dados do Ministério do Trabalho apontam uma menor proporção de vistos concedidos para estrangeiros com maior escolaridade.

O número de trabalhadores de outros países com doutorado, mestrado e ensino superior completo que conseguiu visto no primeiro trimestre aumentou 7,8% - foram 7,2 mil nos primeiros três meses de 2011 e 6,7 mil em igual período de 2010.

A comparação dos dados do primeiro trimestre de 2011 e 2010 mostra que o Ministério do Trabalho passou a classificar um grande número de trabalhadores como "outros" quanto ao quesito escolaridade - de apenas um no primeiro trimestre de 2010 esse grupo passou para 1.144 vistos este ano.

Esse grupo, de acordo com a assessoria do ministério citada pelo Valor, é quase todo formado por profissionais de baixa qualificação.

Confira a reportagem na íntegra pelo link relacionado abaixo.