Google, Apple, Intel, Intuit e Pixar Animation mantinham um acordo para não contratar funcionários uma das outras em suas operações nos Estados Unidos, em uma forma para evitar a disputa por colaboradores e a alta dos salários.

O assunto chegou ao judiciário americano e nesta sexta-feira, 24, as seis companhias assinaram um acordo com a  Corte Distrital de Columbia comprometendo-se a não realizar a prática por seis anos.

De acordo com o órgão, as empresas “eliminaram uma importante forma de competição para atrair trabalhadores altamente qualificados” e “ privaram os funcionários de terem acesso a melhores oportunidades de trabalho”.

Em um comunicado, a Intel disse "não acreditar que suas ações violaram a lei e que a empresa não concorda com as alegações. A decisão de resolver o assunto foi porque ela acredita que isso iria prejudicar a sua capacidade de fazer negócios".

O Google diz que não intimidou os funcionários que desejavam encontrar empregos mais bem remunerados e contratou “centenas de trabalhadores” fora das cinco outras empresas envolvidas no acordo.  

A Intuit disse, por meio de comunicado, que não acredita tenha feito algo errado.