O Brasil é o 7º maior mercado interno de TIC do mundo, com faturamento de US$ 165,7 bilhões em 2010 – equivalente a 8% do PIB nacional – e previsão de subir duas posições no ranking global até 2022.

O dado consta na segunda edição do Brasil TI-BPO Book, publicação da Brasscom  que avalia o setor no país nos cenários de 2010 e 2011.

O livro traz diversas análises e desenhos de cenário da TI nacional, além de avaliações do setor em relação ao âmbito internacional.

Por exemplo: conforme os dados levantados, a maior fatia de TI-BPO no país é a de TI In-House, seguida pelo setor de hardware, com destaque para servidores, dispositivos de armazenamento, periféricos e equipamentos para redes.

Na sequência, vêm serviços (planejamento, desenvolvimento, suporte e gerenciamento de sistemas e processos), BPO, software e exportações.

O livro também traz estudos de caso da indústria nacional de TI, com aplicações a verticais como bancária, alimentícia, industrial, varejista, entre diversas outras.

Conforme Antonio Gil, presidente da Brasscom, dados do Gartner indicam que, em julho de 2010, o Brasil foi considerado como o mercado mais equilibrado de TI entre as nações dos BRICS, por conta, entre outros motivos, da dimensão de seu mercado e do crescimento macroeconômico.

O mercado nacional de TI também foi considerado o segundo maior entre as nações emergentes, atrás somente da China.

“Este nosso estudo de agora demonstra que o Brasil está no caminho certo e que esta década será crucial para o desenvolvimento do país e sua projeção no mercado internacional”, finaliza Gil.

O Brasil TI-BPO Book tem versões em português e inglês e pode ser solicitado pelo site da Brasscom, relacionado abaixo.