O Grupo Stihl anunciou nessa quinta-feira, 27, investimentos de R$ 518,5 milhões para a ampliação de sua planta industrial em São Leopoldo, voltada para a fabricação de cilindros para motores.

Um protocolo de intenções entre o governo do estado e a empresa foi assinado.

A Stihl se comprometeu em manter uma média trimestral não inferior a 1.640 empregos mensais, entre 2011 e 2014. Além disso, a multinacional alemã assegurou a geração de 645 empregos adicionais, dando preferência à contratação de mão de obra local.

Ao estado, caberá  liberar a transferência de saldos credores acumulados na exportação, que poderão ser utilizados para a importação de matérias-primas e a para a aquisição de fornecedores gaúchos.

“O incentivo se justifica pela quantidade e qualidade dos empregos que serão criados”, avaliou o governador gaúcho, Tarso Genro.

O presidente da Stihl no Brasil, Cláudio Guenther, revelou que o investimento estava sendo disputado por outras empresas do grupo, na Alemanha, China e Estados Unidos.

“A escolha pela empresa brasileira – que responde por 10% do faturamento do grupo, estimado em mais de € 2,5 bilhões –  está relacionada à excelência e alta qualificação da mão de obra que dispomos no Rio Grande do Sul”, afirmou.

A ampliação, conforme Guenther, irá proporcionar um incremento de 56% na produção de cilindros, 90% destinados à exportação e 10% para o mercado doméstico.

A empresa ainda exporta 50% dos motores e ferramentas completas fabricados em São Leopoldo.

Já o secretário de Desenvolvimento e Promoção do Investimento (SDPI), Mauro Knijnik, ressaltou o compromisso da empresa em gerar empregos com média salarial não inferior a R$ 2.804 em 2011 e a R$ 3.340 no ano de 2014.