O Centro de Serviços Compartilhados da ALL – América Latina Logística, maior empresa de logística com base ferroviária da América Latina, conquistou o prêmio Best New CSC de 2010, concedido pelo Centro Internacional de Qualidade e Produtividades (IQPC).
 
Implantado em junho de 2008, o CSC foi o vencedor disputando com empresas como Bosch e Solví. Foram avaliados quesitos como automação, estratégia, gestão de pessoas, cultura, inovação  e relacionamento com os clientes.
 
“Quando juntamos o apetite por inovações, a capacidade de execução e a garra do time ALL com o modelo de gestão baseado em processo, o resultado não poderia ser diferente”, declara Marcos Rodrigues da Costa, superintendente do CSC.

O tal apetite por inovação não é de hoje: no ano passado, a América Latina Logística foi classificada pela Revista InformationWeek como uma das cinco empresas mais inovadoras do país.

Atuando em logística ferroviária, a companhia não encontra  as soluções de TIC de que precisa em prateleiras comuns, o que a obriga a botar a mão nos bytes e desenvolver ferramentas para atender a suas necessidades, segundo explicou, em entrevista ao Baguete Diário, o gerente de Projetos e Tecnologia Operacional da empresa, Cesar Leandro Prato.

“Falta empresas que conheçam de ferrovias, tenham expertise em TI para o segmento. Até há, no Brasil, fornecedores com skill nesta área, mas o custo é elevado. Para suprir nossas demandas, trabalhamos no desenvolvimento de soluções e também na adaptação de sistemas e ferramentas de fornecedores terceirizados”, afirmou Prato ao site.

Conforme o gerente, o investimento médio anual realizado pela ALL em tecnologia fica em torno de 5% do Capex anual da companhia - cerca de R$ 20 milhões/ano.

Mais recentemente, algumas das soluções desenvolvidas internamente pela empresa foram o Assistente de Condução, sistema que passou para dentro dos computadores de bordo dos trens da companhia uma solução que realiza a equação matemática de todas as variáveis de viagens – percurso, condições das rodovias e das máquinas, clima -, calculando e indicando a melhor forma de condução com base em informações sobre quantidade de vagões, tipo de locomotiva, relevo e velocidade.

“Funciona como um guia para os maquinistas”, ressalta Prato.

Além disso, a TI da ALL também desenvolveu recentemente o Sistema de Gestão de Ativos Translogic, que atua na gestão, como o nome diz, de todos os ativos da empresa - de vagões a faturamento.

Houve, ainda em 2010, investimentos em um sistema para despacho automático de trens, o PX.

Já para 2011, os projetos previstos incluem um novo sistema de licenciamento de trens, além da área de comunicação, com uma rede própria de rádio.