Eike Batista. Foto: Divulgação, Governo de Minas Gerais

Eike Batista, o homem mais rico do Brasil, também tem seus momentos de perdas.

Segundo cálculos da consultoria Economática, as seis empresas do empresário listadas em bolsas registraram no ano passado um prejuízo de R$ 1,2 bilhão.

Na verdade, diz a Economática, em seis anos, o único no qual as empresas de Eike registraram lucro foi o de 2007, de R$ 825 milhões.

Em todos os outros anos, as companhias do sétimo homem mais rico do mundo registraram prejuízo: R$ 93,8 milhões em 2006, R$ 337 milhões em 2008, R$ 432,8 milhões em 2009 e R$ 447,9 milhões em 2010.

O ano de maior perda foi o de 2011, com um prejuízo de R$ 1,2 bilhão.

No ano passado, a companhia que registrou maior perda foi a OGX, com um prejuízo de R$ 482,2 milhões, diz a Isto É. A única que registrou lucro foi a OSX, com um ganho de R$ 7,5 milhões.

A despeito dos números gerais ruins, o valor de mercado das seis empresas de Eike, conforme fechamento do pregão desta terça-feira, 27, é de R$ 72,37 bilhões. A OGX Petróleo é  mais valiosa, com R$ 49,4 bilhões.