A rede de varejo francesa Carrefour recebeu uma proposta de fusão de ativos no Brasil com o grupo Pão de Açúcar, maior varejista do país, numa operação que pode valer R$ 17,14 bilhões.

A proposta realizada por meio da Gama, fundo do banco de investimento BTG Pactual, que conta com participações do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social, surge depois que o grupo brasileiro adquiriu as redes de varejo Ponto Frio e Casas Bahia.

Conforme a Reuters, a fusão entre os ativos no Brasil do Carrefour com o Pão de Açúcar reforçará a liderança da companhia do empresário Abílio Diniz no setor e criará uma empresa com vendas combinadas de mais de € 30 bilhões, a Nova Pão de Açúcar.

Em seguida, a Nova Pão de Açúcar ficará com 69% de participação no conjunto Pão de Açúcar e Carrefour Brasil. Já a matriz francesa levará 31% da operação brasileira.

A possível negociação entre os grupos não alegrou o conglomerado francês Casino, parceiro do Pão de Açúcar e concorrente do Carrefour, que informou estar em posição para bloquear a fusão no país.

Segundo o site Exame, o Casino informou ainda que nenhuma negociação por parte do Pão de Açúcar pode ocorrer sem seu consentimento e que vai examinar a melhor forma de defender o interesse do grupo e de seus acionistas.

Atualmente, o Casino e o grupo de Diniz dividem em partes iguais a holding Wilkes, que controla 66% dos direitos do Pão de Açúcar. Com aprovação da proposta, a Gama passaria a ser a maior acionista do Carrefour, com participação de 11,7%, adquirindo ações adicionais representativas de até 6% do capital da varejista.


O que muda com a fusão?

Conforme dados da Reuters a união das lojas brasileiras do Carrefour com o Pão de Açúcar garantiria à empresa combinada uma participação de 28% do mercado varejista nacional e uma redução de custos de mais de US$1 bilhão ao ano.

Já no mercado internacional, com a participação a ser adquirida no Carrefour França, o grupo poderá levar os produtos brasileiros para todos os mercados estrangeiros onde o Carrefour está presente.