Ao contrário do que demonstram estatísticas nacionais, a mão de obra em TI é abundante em Minas Gerais.

Até demais: o estado é um dos três que terão sobra na oferta de profissionais para o mercado de TI em 2014, segundo um estudo da Brasscom.

Conforme a pesquisa, o mercado deve demandar 3.775 profissionais de TI daqui a três anos, mas só em Minas 4.345 hoje graduandos terão se formado até lá.

Só este ano, 2.858 se formaram em TI no estado, enquanto o número de vagas disponíveis ficou em 1.995.

Em todo o Brasil, o quadro muda: conforme o estudo da Brasscom, em 2014 serão demandados 78 mil profissionais de TI no Brasil, mas apenas 33 mil concluirão os cursos.

Thiago Maia, presidente da Fumsoft, destaca que o setor de TI na capital mineira movimenta hoje R$ 1,6 bilhão por ano, o que representa 1,6% do PIB nacional.

Na média nacional, a fatia da TI é 4%, em relação ao PIB brasileiro.

“Seguindo projeções da Secretaria Municipal de Planejamento, Orçamento e Gestão, de que a cidade crescerá em média 4% ao ano até 2022, para acompanhar esse ritmo e atingir a participação média do setor no PIB nacional, precisamos gerar 100 mil novos postos de trabalho”, diz Maia, em entrevista ao Estado de Minas.

As projeções da Brasscom são baseadas em números de formandos, fornecidos pelo Ministério da Educação (MEC) e pelo Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Cagede) do Ministério do Trabalho.