O ministro da Fazenda, Guido Mantega, anunciou nesta segunda-feira, 29, que o aumento da meta do superávit primário do governo central em 2011 em R$ 10 bilhões, para R$ 91 bilhões.

 
O governo central é composto pelo Tesouro Nacional, Previdência Social e Banco Central.
 
Segundo o ministro, a intenção é evitar um aumento nas despesas correntes, dando mais espaço para o Banco Central usar os juros como arma contra uma deterioração da crise econômica nos Estados Unidos e Europa.
 
"É um ajuste para garantir o crescimento da economia e a geração de empregos, sem afetar os gastos com programas sociais", afirmou Mantega
 
Mantega disse ainda que a medida procura evitar um desaquecimento da economia brasileira, como aconteceu durante a crise de 2008.