As bolsas de valores do Peru, Chile e Colômbia começam a operar de forma conjunta a partir de 22 de novembro.

Segundo levantamento da Economática, a nova bolsa integrada será  a segunda maior da América Latina em valor de mercado, com US$ 594,8 bilhões, conforme dados desta terça-feira, 28.

A cifra supera a da bolsa mexicana, que possui valor de US$ 437 bilhões e fica só atrás do Brasil, com US$ 1,3 trilhão.

Com relação à liquidez, a bolsa integrada aparece em terceiro lugar, com volume financeiro médio diário em setembro de US$ 334,3 milhões, atrás da Bolsa brasileira, com US$ 3,3 bilhões, e da bolsa mexicana, com US$ 608,6 milhões.