A Hering, empresa catarinense de Blumenau, aposta na Colômbia como principal candidata para desenvolver as operações no mercado internacional, gerando potencial de crescimento à companhia.

"Fora do Brasil, a Colômbia é um dos principais mercados disponíveis e com muito potencial para expansão", garantiu o diretor comercial da varejista têxtil, Ronaldo Loos, à Reuters.

Conforme a Exame, na última sexta-feira, a Hering inaugurou a primeira loja da rede no Chile, na capital Santiago. Estão previstas mais duas lojas no país, com abertura em 2012, além de ingresso nos mercados do Equador, Colômbia e Peru, e ampliar operações na Bolívia, Paraguai, Uruguai e Venezuela.

Hoje, as 16 unidades que estão fora do Brasil garanten entre 2% e 3% da receita da companhia.

Segundo Loos, as lojas localizadas na América Latina apresentam o mesmo potencial de vendas das sediadas em território nacional, que registram, aproximadamente, R$20 mil a R$23 mil por metro quadrado ao ano.

Como expectativa, a Hering prevê desembarcar, em 2012, de forma efetiva em um dos países latino-americanos em que há negociação.

Além das nações vizinhas, a companhia pretende abrir unidades no México e nos Estados Unidos. Segundo Loos, esses são planos para o futuro.

Ao passo que planeja a expansão internacional, a Hering reestrutura suas marcas no Brasil, o que inclui a descontinuidade de algumas operações sob a bandeira PUC e o desenvolvimento da marca dzarm.