A Vale informou nesta sexta-feira, 30, ter adquirido participação de 51% na BSG Resources Guinea, que detém concessões de minério de ferro na Guiné, em Simandou Sul, e licenças de exploração em Simandou Norte.

Pela aquisição dos ativos a Vale pagará US$ 2,5 bilhões, dos quais US$ 500 milhões à vista, e os US$ 2 bilhões restantes em etapas sujeitas ao cumprimento de metas específicas.
      
De acordo o comunicado publicado pela mineradora brasileira, Simandou Blocos 1 & 2 e Zogota estão entre os melhores depósitos de minério de ferro ainda não explorados no mundo com alta qualidade e potencial para o desenvolvimento de projeto de larga escala e longa duração, com baixo custo operacional e de investimento.  
 
A joint venture entre Vale e BSGR implementará o projeto Zogota e conduzirá estudos de viabilidade para os Blocos 1 & 2, com a criação de um corredor logístico para escoamento através da Libéria.

Pelo direito de escoar pela Libéria, a joint venture tem o compromisso de renovar 660 km da ferrovia Trans-Guiné para transporte de passageiros e cargas leves. A Vale será responsável pela gestão dos ativos, marketing e vendas da joint venture com a exclusividade do off-take do minério de ferro produzido.

Segundo a Vale, a iniciativa irá fortalecer a liderança global da Vale na indústria de minério de ferro como o principal fornecedor de produtos de alta qualidade e deverá criar valor significativo para seus acionistas no longo prazo.