Ballmer foi blindado pelo Conselho

O conselho de administração da Microsoft expressou apoio ao presidente-executivo Steve Ballmer, defendendo o líder da companhia do administrador de fundos de hedge David Einhorn.

Influente investidor, Einhorn pediu a demissão de Ballmer na semana passada alegando o “mau desempenho estratégico da empresa" sob a batuta do CEO.

Para Einhorn, Ballmer está “preso ao passado”, comentário que ecoa opiniões particulares expressas há anos por alguns investidores, e que agitou Wall Street, fazendo as ações da Microsoft subir 2% na quinta-feira, 26, dia das declarações.

Já o conselho da Microsoft, formado por nove pessoas entre as quais o presidente e co-fundador Bill Gates, não entrou no coro.

Segundo fontes citadas pela agência Reuterns, os diretores apoiam Ballmer.

Gates, que cofundou a companhia de software em 1975 e continua a ser o seu maior acionista, com 6,6% do capital, é em geral visto como a pessoa que teria de decidir, em caso de troca de comando.

“Bill Gates é um capitalista impiedoso. Se quisesse, empurraria Ballmer para fora por conta própria”, disse um administrador de fundos em um dos maiores acionistas da Microsoft, que pediu que seu nome não fosse revelado.

Gates, que dedica a maior parte do seu tempo à fundação filantrópica que criou, não ofereceu indicações de que esteja considerando uma mudança. Um representante do empresário se recusou a comentar o assunto.

Outros investidores admitiram que as ações da Microsoft vêm sofrendo sob o comando de Ballmer, mas não chegaram a pedir sua saída.