Fábio Fischer

A TCI firmou uma joint venture com a consultoria indiana The Jai Group.

Focada no mercado indiano de BPO, a parceria vai incluir exportação de know-how em soluções para áreas como finanças e telecomunicações e importação em ferramentas para setores como saúde e algumas indústrias específicas.

O acordo é uma das apostas da empresa paulista para crescer 40% em 2010, alcançando faturamento de R$ 240 milhões.

“A joint venture facilitará o acesso da TCI ao mercado global e das empresas indianas ao mercado latino-americano”, destaca o vice-presidente do Conselho Administrativo da companhia brasileira, Fábio Fischer, que esteve na Índia em abril, durante o 4th India-Latin America and Caribbean Conclave, para acertar os detalhes do contrato.

Na viagem ao país asiático, Fischer também visitou diversas empresas locais de cidades como Delhi, Mumbai e Gurgaon.

Na avaliação do VP, as soluções de BPO desenvolvidas no mercado brasileiro, embora demonstrem inovação, ainda são “bastante tímidas” perto do “nível de profundidade e de itens de serviços prestados pelas organizações indianas do segmento”.

“As empresas indianas de BPO são reconhecidas não apenas pela eficiência e custo, mas também pelo elevado volume e variações de oferta de serviços, assumindo, em alguns casos, processos muito próximos do core business de seus clientes nos EUA e Europa”, afirma Fischer. “E não são apenas itens de terceirização comoditizados, como os encontrados no Brasil. Desta forma, uma joint venture da TCI com empresas indianas apresenta grande potencial de negócios para ambas as partes", completa.

Para o VP, a parceria na Índia é o primeiro passo para a internacionalização da companhia paulista, que conta com 18 unidades no Brasil, em dez estados, além do Distrito Federal.

A empresa, que no ano passado cresceu 36%, faturando R$ 171 milhões, também expandiu seu lucro líquido em 148%, chegando aos R$ 33 milhões.

Conforme Fischer, para este ano a meta de expansão foca não só a internacionalização, mas também o fomento de áreas de negócio como os segmentos de finanças, judiciário e saúde, com foco em soluções para gestão de documentos, logística e higienização de têxteis.