Tamanho da fonte: -A+A

Em quatro meses de vigência da legislação federal que impôs novas regras sobre funcionamento dos Call Centers, o Procon Porto Alegre registrou um aumento nas queixas de consumidores contra este setor das empresas.

Até o dia 31 de março de 2009, o contingente de reclamações de clientes contra o atendimento telefônico de fornecedoras de serviços chegava a 700 queixas no Procon Porto Alegre.

"Deve ser salientado que a lei em questão refere-se somente aos call centers de companhias aéreas, empresas de energia elétrica, telefônicas, TV por assinatura, aviação civil, empresas de ônibus interestaduais, administradoras de cartão de crédito, bancos e planos de saúde", destaca o coordenador do Procon POA, Omar Ferri Júnior.

Segundo ele, no órgão de defesa da capital gaúcha os campeões de queixas seguem sendo as operadoras fixas e celulares, seguidas pelos cartões de crédito e fornecedoras de TV por assinatura.
 
Além disso, as reclamações de consumidores gaúchos vão desde a veiculação de mensagem publicitária, vedada por lei, nos contatos de call center, passando por demora no atendimento, inacessibilidade a deficientes até a indisponibilidade do serviço obrigatório.

Multa
As empresas que descumprirem qualquer uma das novas regras para call center podem ser multadas pelo Ministério da Justiça. Uma das mais recentemente punidas é a TIM, que na segunda-feira, 30, tomou multa de R$ 650 mil por não oferecer opção de reclamação do consumidor no primeiro menu do atendimento telefônico eletrônico.

Além da operadora, que ainda tem dez dias para recorrer da multa, outras seis companhias já foram multadas desde que a nova lei entrou em vigor, no ano passado. Todas recorreram e nenhuma pagou, entretanto.

O assunto é notícia no Baguete desta quarta-feira, 08. O texto pode ser conferido na íntegra pelo link abaixo.