O FBI está investigando a Oracle por uma suposta violações das leis do país contra suborno em  países da Africa Central e Ocidental.

 
Segundo reportagem do Wall Street Journal desta quarta-feira, 31, as investigações acontecem a pelo menos um ano e envolvem também  promotores do Departamento de Justiça e a Comissão de Valores Mobiliários.
 
Os órgãos envolvidos examinam se funcionários da Oracle ou pessoas agindo em nome da empresa fizeram pagamentos escusos na África em troca de contratos para vendas de programas para bases de dados e aplicativos.
 
A lei batizada de "Práticas de Corrupção no Exterior", de 1977, proíbe empresas americanas e seus funcionários de oferecer ou pagar propinas a agentes de governos estrangeiros e funcionários de estatais.
 
O Departamento de Justiça abriu 24 processos ligados a essa lei em 2010, um aumento em relação aos cinco abertos em 2004. Este ano já são sete casos. As multas aumentaram exponencialmente e chegaram a US$ 2 bilhões em 2010, contra cerca de US$ 11 milhões em 2004.
 
As investigações mais recentes ligadas à lei antissuborno estão deixando todo o setor de alta tecnologia dos EUA em alerta; o ritmo acelerado inerente ao setor, a dependência em terceirizados e negócios de vulto com governos estrangeiros fazem do setor um alvo para as autoridades, avalia o WSJ.
 
Confira a matéria na íntegra pelo link relacionado abaixo.