Ládio Falcão

De olho no crescimento do segmento brasileiro de óleo e gás, a sueca IFS acaba de abrir uma unidade no Rio de Janeiro. A empresa, especializada em ERP, pretende fisgar o mercado a partir do atendimento a empresas orientadas a projetos, principalmente as que operam no setor de offshore e utilities.

"Hoje, estes setores são os alvos mundiais da IFS", afirma Lávio Falcão, presidente da companhia no Brasil. "Contamos com uma base de 15 clientes locais, entre eles prestadores de serviços que operam como fornecedores de projetos para a Petrobrás, assim como a Companhia Estadual de Águas e Esgoto do Rio de Janeiro (Cedae-RJ)", complementa.

Além disso, a empresa conta com projetos de roll out do sistema IFS Applications, focado no gerenciamento de processos, em companhias internacionais que hoje usam a tecnologia fora do Brasil, mas mantém operações no Rio, especialmente as focadas no ramo petrolífero.

"Queremos explorar no local uma particularidade de nosso sistema que é única no mercado. Trata-se de um conjunto de processos que envolve engenharia, suprimento, construção e instalação, tudo integrado ao IFS Applications", destaca Falcão.

Também estão integrados ao sistema processos relativos ao EPCI (do inglês Engineering, Procurement, Construction and Installation), como é conhecido o modelo de gestão exigido em contrato pelas empresas de offshore e que controla processos como a adequação da estrutura, aquisição de material necessário para um projeto, construção e instalação.

A IFS oferece soluções também para verticais como aéreo/defesa, setor automotivo, manufatura industrial, serviços públicos e telecomunicações.

Até hoje, a companhia atuava no Brasil por meio de um escritório em São Paulo e uma rede de dez canais, atendendo a mais de 100 clientes.