Uma pane no link de conexão da SITA, empresa de tecnologia que presta serviços para a TAM, tirou do ar o check in da companhia área na manhã desta sexta-feira, 02.

Devido aos problemas, a impressão dos cartões de embarque e das etiquetas das bagagens deixou de funcionar e teve que ser feita manualmente até às 12h, quando o problema foi solucionado.

Segundo informações da Exame.com, as filas no setor de check-in da empresa aérea TAM nos principais aeroportos do País ainda eram gigantes por volta das 11h.

A TAM orientou os passageiros a realizarem o check-in pelo site da empresa, antes de se dirigirem aos aeroportos.

Por conta da falha no sistema, as filas nos aeroportos de maior movimento estão com tempo de espera de quase duas horas, como é o caso no Aeroporto de Congonhas, na zona sul de São Paulo, segundo a Rádio CBN.

Entre os 308 voos domésticos, programados para decolar entre as 10h e 11h, 14 foram cancelados e 93 registraram atrasos de mais de meia hora.

Já entre as 14 decolagens internacionais previstas para o período, quatro sofreram alteração de horário e nenhum foi cancelado.

Sediada na Bélgica, a SITA é uma gigante da área de tecnologia para empresas de aviação, com mais de 2,7 mil clientes. As vendas foram de US$ 1,46 bilhão em 2010.

Nessa quinta-feira, 01, a Anac notificou a TAM por causa de um atraso na decolagem do voo JJ 8084 do Aeroporto de Guarulhos para Londres, marcada para as 22h50 de quarta-feira, 29, e efetivada apenas às 6h37 de quinta-feira, 01.

A Anac vai verificar se a empresa prestou assistência aos passageiros.

Se for confirmada a omissão de assistência, a empresa poderá ser multada em até R$ 7 mil por passageiro. O valor total da multa pode chegar a cerca de R$ 1,7 milhão, dependendo da quantidade de passageiros prejudicados.