O Sistema Brasileiro de TV Digital Terrestre (SBTVD) fechou uma parceria com o governo federal para viabilizar a adoção da norma japonesa EWS, que emite alerta de catástrofes naturais via televisão digital, no Brasil.

Conforme André Barbosa, assessor da Casa Civil, a utilidade do modelo passou a ser estudada após o desastre natural que atingiu a região serrana do Rio de Janeiro em 2011.

A ideia é que os dispositivos móveis e televisões enviem alertas à população em caso de enchentes, deslizamentos de terra e ciclones, por meio de conversores digitais integrados.

Na Ásia, o investimento em tecnologia para monitorar o risco de grandes catástrofes foi ampliado desde o tsunami ocorrido na Indonésia, em 2006. E a partir dessa tecnologia surgiu a possibilidade de calcular eventuais impactos de fenômenos em áreas críticas.

Segundo Barbosa, a proposta ainda está em fase de planejamento e o principal impasse encontrado é a falta de profissionais capacitados à tecnologia.

De acordo com o Ministério de Ciência e Tecnologia, o Brasil tem apenas 100 geólogos especializados, sendo que menos da metade possui experiência em avaliar encharcamento de solo e risco de desmoronamento.