Luiz Carlos Batista (esq.), da Insinuante, e Ricardo Nunes, da Ricardo Eletro

O Grupo Máquina de Vendas contratou um projeto da catarinense Gesplan para otimizar a gestão de tesouraria e planejamento econômico de quatro empresas suas: Ricardo Eletro, Insinuante, Eletro Shopping e Citylar.

A gigante do varejo foi formada em 2010 a partir da fusão de Ricardo Eletro e Insinuante.

Hoje, a holding é a maior do Brasil em cobertura territorial, presente em 23 estados, mais o Distrito Federal, com 900 lojas em 301 cidades, 25 mil funcionários e faturamento acima de R$ 7 bilhões, conforme dados divulgados por sua assessoria de imprensa.

A rede adotou os softwares GSCash, para gestão de fluxo de caixa e tesouraria; e GSFinancing, para controle e projeção de operações financeiras (captações, aplicações, derivativos e mútuos).

Com as soluções, a holding Máquina de Vendas passa a ter gestão centralizada de tesouraria, mas cada uma das quatro companhias também fará sua própria gestão, com acompanhamento do fluxo de caixa e cash management.

“Isto possibilitará que a quantidade de recursos de capital de giro sejam diminuídos significativamente, já que a previsibilidade de caixa será mais acurada e a necessidade de fundo fixo será otimizada”, explica Marcia Tasca, diretora Comercial da Gesplan.

Além disso, o projeto agrega à varejista maior controle sobre atividades de conciliação e acompanhamento de saldos de contas correntes.

As ferramentas também serão usadas pela diretoria e gerências financeiras da Máquina de Vendas como um painel de acompanhamento das disponibilidades e necessidades de caixa.

Traduzindo, será mais fácil definir a destinação de recursos, com a simulação de cenários financeiros e acompanhamento de orçamentos de caixa projetados.

Força no varejo

O projeto reforça a presença da Gesplan no varejo, onde já atende a clientes como Renner, Magazine Luiza, Taqi (Grupo Herval), Americanas.com, Submarino, Shoptime, Eletrosom, Pernambucanas e Ferramentas Gerais, entre outros.

TI de negócios
Isso que a companhia não oferece qualquer especificidade para a vertical: conforme Márcia, trata-se apenas de atenção ao negócio do clietne.

“Nossos produtos de tesouraria são bastante flexíveis e oferecemos conhecimento e expertise de uma equipe focada mais em negócio e menos em tecnologia. Isso faz toda a diferença”, finaliza a diretora.

Ano quente!
Não foi só no varejo que a Gesplan se fortaleceu recentemente.

Em 2011, a companhia catarinense também agregou novos clientes à carteira do peso do grupo cearense Edson de Queiroz, que emprega 14 mil pessoas nas áreas de gás, mineração, agroindústria, alimentos, bebidas, eletrodomésticos e mídia, com movimentação divulgada de folha de pagamento na casa dos R$ 300 milhões/ano.

O grupo adotou soluções para gestão da área financeira, integradas ao ERP Oracle EBS R12.

Ainda em andamento, o projeto compreende, na primeira fase, a substituição do sistema legado de tesouraria utilizado pela corporação, o que deve ser concluído este mês.

A segunda etapa vai envolver a implantação da solução nas demais áreas e empresas do grupo, seguindo um cronograma que deve se estender ao longo do ano.

“A Gesplan nos ajuda a remodelar todo o processo financeiro, com a consolidação das informações e uso de um Centro de Serviços Compartilhados (CSC), o que elimina uma série de processos duplicados que existem atualmente”, afirma Romulo Sousa Dias,
gerente de Controle Financeiro do grupo cearense.

Com o Edson Queiroz, a carteira da Gesplan também se reforço no Nordeste, onde a companhia já atende a nomes como M.Dias, Unimed Fortaleza, Marquise, Aço Cearense e Mecesa.

A Gesplan
Impulsionada pelos bons ventos, a companhia de Joinville projeta para 2012 um aumento de 15% na venda de novos projetos.

Com cerca de 500 clientes, entre empresas de médio e grande porte nacionais e multinacionais, a empresa tem escritório comercial em São Paulo, além de unidades e parceiros em Porto Alegre, Curitiba, Florianópolis, Belo Horizonte, Rio de Janeiro, Fortaleza e Recife.

Este ano, a meta é ampliar a rede de canais, com foco nas parcerias para o mercado internacional.

Não à toa: nos últimos dez anos, a Gesplan vem apresentando crescimento anual médio de 57%, e, dos projetos fechados por ano, a maioria vem dos canais.

Só em 2011, os parceiros foram responsáveis por 60% das novas vendas.