Silvana Kusman, gerente de projetos da Cinq

O Boticário apostou em tecnologia da paranaense Cinq Technologies em seu evento Circuito da Beleza, ação de venda consultiva da marca que propõe avaliar o perfil de cada consumidora e direcionar suas compras aos perfumes mais adequados.

Para a ação, a Cinq desenvolveu o aplicativo para iPad “Circuito Fashion”, que permite coletar e avaliar, a partir de perguntas e respostas sobre o cotidiano, o perfil das clientes, enviando, após, sugestões de fragrâncias para as mesmas.

“A junção entre iPad, vendas e beleza é inovadora. Nos orgulhamos de uma parceria tão original”, diz Silvana Kusman, gerente de projetos da Cinq.

Apesar da realização em ambiente físico - shoppings de Curitiba, Rio de Janeiro, São Paulo, Belo Horizonte e Recife -, o Circuito da Beleza O Boticário é um evento interativo, segundo Tatiana Ponce, gerente executiva de Mercado e Consumidor de O Boticário.

A empresa é, segundo dados próprios, a maior rede de franquias de perfumaria e cosméticos do mundo, com mais de 3.020 lojas no Brasil, divididas entre cerca de 900 franqueados.

No exterior, a marca está presente em sete países, com aproximadamente 100 pontos de venda e 65 lojas exclusivas. No portfólio, mais de 600 produtos.

Apps enchendo a carteira
O negócio de apps tem rendido muito para a Cinq, que é CMMI 3 e faturou R$ 15,6 milhões em 2010, com meta de crescer 25% em 2011: seis meses após lançar seus primeiros aplicativos para iPhone, em fevereiro deste ano, a companhia de Curitiba vendeu mais de 1 mil cópias das soluções.

E não foi só no Brasil: países como EUA, Reino Unido, Argentina, Austrália, França, Canadá, Portugal, Rússia e Suécia compõem o mercado da empresa.

Aliás, do faturamento do ano passado, 40% veio de exportações, especialmente de serviços no modelo offshore outsourcing.

Os aplicativos lançados no começo de 2010 - Boleto Pago, Right Size, Iguassu Birds e Brazilian Coins – são a menina dos olhos da divisão Cinq Mobile, criada depois que, em 2009, a empresa se aliou ao APL de Software da capital paranaense e realizou o primeiro seminário de desenvolvimento para iPhone da cidade.

Conforme Silvana, de lá para cá cresceu não só a demanda por aplicativos e outras soluções de mobilidade na companhia, mas também os investimentos em desenvolvimento deste setor na região.

“Nosso objetivo é pesquisar as necessidades desse novo mercado, desenvolver aplicativos que cativem pela utilidade, design e facilidade de uso”, explica a executiva. “Analisamos cada detalhe do aplicativo: desde o projeto, interface com usuário, desenvolvimento, testes e divulgação”, completa.

A Cinq investe no segmento móvel desde 2001, quando lançou o Cinq Census, solução para automatização de processos de pesquisa de campo e coleta de informações através de palmtops, smartphones e outros dispositivos.

Hoje, além das aplicações voltadas para o usuário final, os paranaenses também investem em soluções mobile direcionadas a mercados específicos, como o Catalog, que permite a agências o desenvolvimento de aplicativos mobile em “prazos curtíssimos”, segundo Silvana.

O produto é voltado também a empresas de comunicação e estúdios de design, ou departamentos comerciais e de marketing de grandes empresas.

A Cinq atua, ainda, com as frentes Solutions Design Lab, Certified Software Factory (área responsável pela construção de soluções e projetos de software) e Professional IT Services (desenvolvimento de software, alocação de profissionais e suporte técnico).

No geral, a carteira de clientes da companhia inclui 24 nomes do Brasil e exterior.

Uma das poucas
A Cinq também é uma das únicas três companhias paranaenses a contar com CMMI Nível 3, ao lado de Sofhar e Cits.

A curitibana foi certificada pelo SEI (Software Engineering Institute), com avaliação do European Software Institute (ESI) e parceria, na área de adequação de processos e consultoria, do Arranjo Produtivo Local de Software de Curitiba, que reúne entidades como Assespro-PR, Sebrae-PR, Cits, Fiep e Tangelo.

Na época, o projeto também contou com a participação de outras 16 empresas do estado interessadas na busca por certificações – 12 no CMMI e as demais no MPS-BR.

A Cinq também foi apoiada pela prefeitura de Curitiba com o programa ISS Tecnológico, que complementou o orçamento obtido junto à ABDI (Agência Brasileira de Desenvolvimento Industrial).

Conforme Aldir Brandão, um dos diretores da Cinq, todos os colaboradores da empresa participaram do processo de busca pelo CMMI 3, com treinamentos internos e externos, gincanas de mobilização e participações em workshops.

Ainda segundo Brandão, a conquista da certificação reforçou a estratégia de internacionalização da companhia, que também é ISO 9001, desde 1998.

Classificada pela consultoria KPMG como uma das seis empresas chaves de IT-BPO em Curitiba, a Cinq ocupa, ainda, a 16ª posição na lista das 200 PMEs que mais crescem no Brasil, de acordo com pesquisa da Delloite/Exame 2009.