A Ulbra padronizou seu sistema de comunicação com a ferramenta Live@edu, da Microsoft, resultando numa economia estimada em R$ 2 milhões.

Devem ser ativadas 100 mil contas de e-mails, que incluem perfis variados de usuários – alunos e professores, ainda nesse semestre.

Segundo  Erhardt Vitor Hoffmann, diretor de TI da Ulbra, ao longo do tempo, este número aumentará, já que a conta permanece ativa após conclusão do curso.

“Se a Ulbra fosse criar um ambiente de e-mail com 10GB de espaço, 25 GB de disco virtual e comunicação de dados para todas às 100 mil contas, o custo total do projeto seria inviável para a instituição”, relata.

Solução mais viável
Hoffmann explica que a alternativa da Microsoft foi a mais viável, já que teve custo zero, exceto pelas horas de treinamento dos profissionais de TI que ajudarão na implementação da ferramenta.

“Já tínhamos tentado  elaborar um projeto com o Google mas não se concretizou devido ao custo final”, explica.

Pelo Google, a suíte de aplicativos se chama Google Apps. Na sua versão para instituições de educação, o pacote inclui uma conta no Gmail, com 7GB, acesso ao Google Agenda e ao Gtalk, além do Google Docs, Sites e Videos (que deve a descontinuação anunciada nessa semana).

Comparado à oferta da MS, que inclui e-mail com 10 GB, 25 GB de armazenamento online gratuito, complementos online para Word, Excel, Power Point e OneNote, Messenger, e download de softwares para desenvolvimento, desenho e criação de games gratuitamente, por meio da conta Live@edu, não pareceu tão vantajoso.

Além disso, a Ulbra levou 50% de desconto nas provas de certificações Microsoft.

“Anteriormente, a comunicação era feita pelos e-mails particulares dos próprios alunos cadastrados no nosso portal para comunicação/informação acadêmica. Agora, unificamos”, relata Hoffmann.

Um modelo similar ao da Microsoft, ao menos em oferta de armazenamento, pelo Google, seria o Apps for Business, que amplia a oferta do pacote educativo, ao custo de US$ 50 por usuário/ano.

A Ulbra gastaria US$ 5 milhões, ou quase R$ 8 milhões. Fazer um projeto por conta própria, relata Hoffmann, seria mais barato, não fosse pela alternativa gratuita:

“Para uma solução como essa, teríamos que ter grandes investimentos em Storage de discos, link de dados e servidores. Este projeto custaria em torno de R$ 2 milhões”, explica.

Modelo conhecido
Além da Ulbra, o sistema da Microsoft foi anunciado no final do ano passado pelo governo do Estado como a ferramenta para disponibilização de contas de e-mail para alunos e professores da rede pública estadual.

Segundo a Secretaria da Educação (SEC), mais de um milhão de contas rodariam na plataforma pelos domínios @professor.rs.gov.br e @aluno.rs.gov.br.

As contas da SEC possuem 5GB de espaço e um disco virtual de 20GB, possibilitando aos usuários a gravação de arquivos e imagens no servidor da Secretaria.

De acordo com os estudos realizados pela consultoria IDC, o Brasil é o país que mais tem interesse por Cloud Computing quando comparado com os demais da América Latina. A previsão é de que o crescimento seja de sete vezes até 2014.

Atualmente a Ulbra ultrapassa o número de 100 mil alunos na educação à distância e presencial, sendo 15 campi, 18 escolas e 120 polos de ensino à distância.