Jeferson Martins Ferreira, sócio e diretor da Brastorage RS

De 0 a 35% do faturamento geral em um ano e meio de filial.

É o resultado da Brastorage RS, unidade da companhia paulista focada em serviços de infraestrutura de TI que hoje é a segunda maior em faturamento, atrás só da sede paulista, e atende a cerca de dez clientes do calibre de BRDE, Getnet e Innova.

Para 2011, a meta é crescer em torno de 30% no estado, com base em soluções próprias e na atuação como Premier Business Partner da IBM.

Só com esta última linha, a companhia projeta faturar em torno de R$ 8 milhões no mercado local este ano.

Outro plano da companhia é dobrar a equipe técnica e comercial da empresa, hoje formada por quatro pessoas.

“Há muito percebemos o potencial do mercado gaúcho, mas ele requer uma atenção maior. Por conta disso, deslocamos nada menos do que um sócio fundador da empresa para abrir a operação local”, afirma Jeferson Martins Ferreira, que é o próprio sócio em questão.

Conforme o executivo, foi chegar no Rio Grande do Sul para os negócios se expandirem. Tanto que, inicialmente, o foco era atender aos três estados da região, mas o mercado gaúcho exigiu exclusividade.

Até mesmo os planos para abertura de uma unidade no Paraná foram adiados: a filial, que deveria ser inaugurada em 2012, ficou para 2013.

“Por hora, ainda há muito o que crescer no RS, especialmente nas regiões de Porto Alegre e da Serra, onde o foco são as indústrias”, comenta Ferreira.

Para garantir este crescimento, a Brastorage aposta em diferenciais como o fato de possuir um NOC próprio, em São Paulo.

Isso, segundo o executivo, permite reduzir o custo de gerenciamento de infraestrutura de TI para o cliente final.

“Prestamos suporte 24x7 por um custo que é pelo menos um terço menor do que se dependesse de o cliente destinar uma equipe própria para prestar este tipo de serviço”, comenta o diretor da unidade gaúcha.

Com isso, segundo ele, a Brastorage pode atender tanto a clientes de grande porte, quanto a médios – que, na definição da companhia, são aqueles com faturamento na casa dos R$ 50 milhões/ano.

Portfólio abrangente

Com IBM e soluções e serviços próprios, a companhia atua em toda a cadeia de serviços de infraestrutura de TI, em um modelo de consultoria end-to-end baseado no suporte prestado por mais de 70 profissionais dedicados.

“Isso significa atuar desde a concepção da estratégia de infraestrutura de TI, passando pelo planejamento e execução de projetos complexos e chegando ao relacionamento de longo prazo por meio de serviços de outsourcing de estruturas de missão crítica”, resume o executivo.

Estrutura geral

A empresa, que também conta com filial no Rio de Janeiro e atende a mais de cem clientes em todo o país, projetando ampliar o número em pelo menos 30 contas este ano, oferece suporte a todos os ambientes e banco de dados, além de aplicações com Basis e ATG.

“Operamos e suportamos ambientes de backup com TSM e ainda temos equipes de suporte para ambientes Linux, Windows e Unix”, define Ferreira.

Diferencial

O grande diferencial do negócio, entretanto, é a oferta de monitoração com indicativos de negócios – uma espécie de avaliação constante e de perto do quanto cada área de uma empresa demanda de investimento em TI.

“Assim, aproximamos a TI do negócio e podemos ajudar o gestor de tecnologia caso ele precise ampliar as atividades e queira saber exatamente o quanto deve investir”, explica o executivo. “O objetivo final é garantir o funcionamento da infraestrutura dos clientes sem que estes sequer lembrem da existência de TI”, finaliza.