Jay Bhatt, ex-responsável pela área de AEC (Arquitetura Global, Engenharia e Construção) da Divisão de Soluções da Autodesk, é o novo CEO da Progress Software Corporation.

Na Autodesk, Bhatt foi responsável pelas operações de desenvolvimento de software, marketing, gerenciamento de produtos, desenvolvimento de negócios, finanças e recursos humanos.

Antes de assumir esta função, Bhatt respondia pelo Desenvolvimento Corporativo e Estratégia de Negócios da Autodesk, incluindo-se aí as políticas de fusões e aquisições (M&A) e de parcerias estratégicas.

No Início de 2000, Bhatt também atuou como Diretor Financeiro e de Desenvolvimento da Buzzsaw Inc., adquirida pela Autodesk em 2001.

O executivo iniciou sua carreira atuando como investidor em bancos de investimento.

Bhatt é diplomado como Bacharel em Artes pela Universidade da Pennsylvania e como Doutor em Direito pela Universidade da Califórnia.

O atual CEO, Richard D. Reidy, que comunicou em agosto último a sua disposição em deixar a Progress tão logo fosse definido um sucessor, anuncia agora que desliga-se dos cargos de CEO e de membro do Conselho de Administração da Progress Software.

Brasil na mira
Em 2010, a Progress Software superou a meta de receitas estipulada para o Brasil, fechando com 120% de resultado.

Globalmente, a Progress apresentou crescimento em faturamento (não GAAP) da ordem de 77%, no terceiro trimestre do ano mesmo ano, e de 55% nos lucros do mesmo período.

Já em 2009, a companhia divulgou que a receita no país crescia a dois dígitos por ano mesmo em tempos de crise, quando a operação global da empresa chegou a registrar resultado negativo.

Em outubro de 2009, o Brasil representava cerca de 4% do faturamento mundial da empresa, valor que o CEO Ricky Redy projetou expandir para 10% em alguns anos.

Mais de 60% das vendas da companhia são realizadas fora dos EUA, e a América Latina vem sendo motor de crescimento, com 7 a 8% de representação nos resultados mundiais. E no cenário da região, o Brasil se destaca com até 60% de participação.

No país, a Progress atende a uma carteira de mais quatro mil clientes, sendo cerca de 300 de grande porte, e, destes, um terço sediados no Sul.