A Ford firmou uma parceria com a Microsoft e as empresas Healthrageous e BlueMetal Architects para Pesquisa e Desenvolvimento na área de tecnologia voltada ao conceito de “carro saudável".

Na prática, trata-se de projetar veículos com serviços de saúde a bordo, com conexão via dispositivo Sync, equipamento de conectividade, com navegação GPS e sistema Bluetooth já disponível em vários modelos da marca.

"Com conexão para celular e web, este dispositivo permite soluções que vão desde encontrar o recurso hospitalar mais próximo até obter informações sobre uma doença, tudo por controle de voz”, explica Gary Strumolo, gerente do Centro de Pesquisa e Inovação da Ford.

Na parceria, a Microsoft entra na parte de projeto e desenvolvimento de software que permita a oferta de informações e serviços captados em equipamentos como monitor de pressão arterial, medidor de glicose e de relatórios de alergia do motorista, por exemplo.

“O papel da Microsoft é traduzir as informações captadas por esses sensores para aplicativos que ofereçam interface por voz e toques na tela, integrando também dados biométricos de outros dispositivos”, detalha Strumolo.

Histórico na nuvem
A proposta é também criar sistemas que, além de monitorar a saúde do motorista, gerem alertas em tempo real, usando os dados obtidos pelos sensores do veículo e registros de arquivo.

O motorista também pode informar detalhes de sua saúde, como a quantidade de copos de água consumidos durante o dia ou os remédios que tomou, usando comandos de voz.

“Esses dados seriam levados para a nuvem e processados junto com outros dados médicos para criar registros gráficos, que o motorista também poderia acessar depois de sair do veículo”, finaliza Strumolo.

Tendência
Uma pesquisa da Pew Research nos EUA mostra que 93% dos entrevistados preferem buscar informações sobre saúde na Internet do que em outros meios, devido à conveniência de obter a informação na hora, sem depender da agenda do médico, por exemplo.

Além disso, 83% dizem conseguir mais informação na web do que com os médicos e 80% garantem que ter privacidade nos dados é o maior benefício da consulta online.

O estudo mostra, ainda, que a área de medicina e saúde foi a terceira que mais cresceu nos aplicativos para smartphones, com mais de 17 mil apps disponíveis para download, no ano passado.

A expectativa é que, até 2015, 500 milhões de pessoas usem aplicativos móveis de saúde.

Otimizar o tempo
Segundo Strumolo, levar estes recursos para dentro dos carros também facilita a rotina diária dos motoristas, que passam a ganhar tempo.

“O carro é um lugar conveniente, que oferece privacidade, facilita o acesso personalizado às informações, produtos e serviços que as pessoas precisam e permite aproveitar o tempo em que elas se deslocam no trânsito”, finaliza ele.