A WK Sistemas, desenvolvedora blumenauense de software contábil, fiscal e ERP, iniciou a implantação do WK Agile, programa interno voltado ao desenvolvimento de software usando Scrum.

A nova metodologia substitui o XP – Extreme Programming, utilizado há mais de oito anos.

Conforme o diretor presidente da companhia, Werner Keske, a mudança garantirá aceleração e até mesmo antecipação no atendimento às demandas de clientes – agilidade que faz diferença em um universo de mais de 80 mil licenças já vendidas em todo o país, com meta de crescimento fomentada pela oferta de softwares que adéquam empresas a exigências de governo.

Só neste segmento, o SPED é uma das maiores apostas da WK para alcançar a projeção de mais de 30% de expansão em 2011, sobre 2010.

“Em todo Brasil, mais de 140 mil empresas entregaram algum arquivo de SPED em 2011”, contou ao Baguete o gestor de Canais da companhia catarinense, Márcio Tomelin. “Já em 2012 este número deve passar de um milhão “, aposta ele.

Para garantir o atendimento ágil a tanta demanda, a companhia aposta no Scrum, e, para isso, enviou aos EUA uma equipe de três pessoas, que participaram de 28 conferências especializadas durante cinco dias.

Todos os profissionais voltaram com as titulações Certified ScrumMaster e Agile Testing Practices.

Depois disso, segundo Keske, equipes internas foram organizadas na empresa para disseminar o modelo, avaliar e propor novas práticas de gerenciamento de projetos de software.

Princípios Agile
O programa WK Agile atende a princípios pré-estabelecidos, como a entrega antecipada e contínua de demandas de clientes.

Para tanto, foram adotados processos de aceleração das entregas, o que envolve o entrosamento entre equipes de negócios e de desenvolvedores.

“Motivação individual e métodos que tornem mais eficiente o tráfego de informações também foram adotados”, conta Keske. “O WK Agile busca, ainda, responder a mudanças, ao invés de seguir um plano. O segredo é a interação e flexibilização”, acrescenta.

Metodologias
Conforme o diretor-presidente, a companhia substituiu o método XP - Extreme Programming pelo Scrum por, entre outros motivos, esta ser uma metodologia mais aplicável a trabalhos complexos, nos quais é impossível prever com exatidão tudo o que irá acontecer.

A abrangência do método também motivou a companhia bluemanuense.

“O Scrum foi concebido especialmente para o desenvolvimento de software, mas pode ser utilizado em equipes de manutenção de software ou como uma abordagem geral de gerenciamento de projetos/programas”, finaliza Keske.

Em expansão
Além de agilizar o processo de desenvolvimento de software, a WK também aposta no incremento de sua plataforma comercial para crescer.

Em agosto deste ano, a empresa lançou um programa para ampliar a rede de canais, que hoje soma 60 unidades em 22 estados, representando mais de 95% das vendas.

A meta é implantar dez novos canais em um ano, com foco nas regiões Oeste do Rio Grande do Sul, Paraná e Santa Catarina, interior de São Paulo, Minas Gerais, Centro-Oeste, Norte e Nordeste.

Tomelin explica que nos últimos três anos as vendas de ERP da WK deram um salto, chegando a triplicar em alguns dos parceiros.

Com isso, também se expandiu não só o faturamento da empresa, mas sua presença nos segmentos de indústria, comércio e serviços, com ampliação do portfólio de soluções verticalizadas.

A empresa
No mercado desde 1984, a WK tem sede em Blumenau e, além dos canais, conta com presença nacional por meio de outros parceiros de distribuição.

Ao todo, a rede de alianças da companhia soma em torno de 100 empresas.

Já a carteira de clientes reúne nomes como Procempa, Uniodonto Mato Grosso, Barry Callebaut Brasil, Washington Group International do Brasil, Acon e Teclan, entre outros.