Marcelo Pacheco, diretor da Integrasul

A prefeitura de Caxias do Sul adotou a suíte Enterprise Security for Endpoint Advanced, da Trend Micro, para garantir a segurança de um parque de mais de 1,3 mil desktops, 60 notebooks e 30 dispositivos móveis.

Foram adquiridas 200 novas licenças da solução, que inclui o Intrusion Defense Firewall (IDF) e OfficeScan; e feito upgrade de 1101 licenças já em uso para novas versões das soluções, tudo sob responsabilidade da também caxiense Integrasul.

Com um ambiente de sistemas operacionais heterogêneos, incluindo versões de Windows 2000, XP, Vista e 7, a prefeitura vinha tendo sérios problemas para proteger a estrutura, segundo Antonio Jacob, diretor de TI da prefeitura.

Colapso evitado
“Em 2010, passamos a enfrentar problemas no parque tecnológico capazes de colocar em risco o patrimônio”, informa Jacob. “Com a suíte, protegemos tudo contra infecções e intrusões de vulnerabilidades, sem a correção de sistemas operacionais e aplicativos, e reduzimos em 30% os incidentes com vírus”, completa.

O coordenador de TI também ressalta vantagens como a atualização automática dos novos softwares e estações de gerenciamento, além do aumento no controle do uso de programas instalados nas máquinas.

“As soluções permitem, por exemplo, gerenciamento via servidor, que emite alerta e relatórios de infecções. Podemos executar ações automáticas ou manuais, de acordo com a política definida para o sistema de antivírus”, esclarece Jacob.

A prefeitura caxiense já usava soluções da Trend Micro desde 2004, sempre atendida pela Integrasul.

Tudo blindado
Conforme Marcelo Pacheco, diretor da integradora – que é Premium Partner da fornecedora americana de softwares de segurança -, a suíte instalada na entidade também oferece aplicação de virtual patch, que corrige qualquer falha em sistemas diversificados, impedindo a exposição e o vazamento de informações.

“Com isso, blindamos as 48 unidades externas da prefeitura, além de seus notebooks e sites remotos”, afirma Pacheco.

Quem faz o quê
Na suíte de soluções, o IDF age como um plugin para o OfficeScan, complementando a segurança em rede por meio do Host Intrusion Prevention System (HIPS).

O mecanismo de inspeção monitora o tráfego de entrada e saída para desvios de protocolos de rede, além de qualquer conteúdo suspeito que sinalize um ataque ou violações de políticas de segurança pré-estabelecidas.

O OfficeScan também possui tecnologia de cloud computing, denominada Smart Protection Network.

“Trata-se de uma rede que trabalha em tempo real com correlações de e-mails e arquivos na web, com o objetivo de analisar a reputação de todos os sites acessados pelo usuário, além de bloqueá-los, se for necessário”, explica Pacheco.

Com esta estrutura, a prefeitura do município serrano melhorou não só o gerenciamento de segurança, mas também a aplicação das correções, que passaram a ser feitas no momento exato de cada demanda.

Cuca fresca
“Antes, precisávamos aguardar um momento propício, fora do horário de pico da rede, para aplicar os corretivos. Hoje, superamos essa vulnerabilidade e não precisamos nos preocupar com o gerenciamento: todo o controle fica com a Integrasul, liberando nosso profissionais”, conclui Jacob.

Vem mais por aí...
E conforme o coordenador de TI, os investimentos da prefeitura caxiense em segurança da informação não vão parar por aí.

“Pretendemos aprimorar o projeto. Vamos avaliar novas soluções, uma delas o Serviço de Detecção de Ameaças Virtuais (SDAV), e pretendemos fazer a prevenção periódica de ameaças por meio de correlações de eventos internos da rede”, afirma ele.

Lançado em parceria com a Trend Micro, o serviço mencionado pelo coordenador coloca a Integrasul como responsável por uma análise global, via auditorias periódicas, das susceptibilidades da estrutura do cliente.

A partir disso, a companhia gera diagnósticos e relatórios, sugerindo melhorias e ações pró-ativas no ambiente.   

Foco na TI
A segurança da informação não é exclusividade nos investimentos de TI da prefeitura de Caxias.

No ano passado, por exemplo, a entidade adquiriu o Sistema de Gestão de Saúde Pública (SIS.SAP), da porto-alegrense JME.

Com a solução, o órgão público passou a integrar informações de todos os setores da área de saúde e dos pacientes em um único banco de dados.

No total, SIS.SAP irá integrar as 41 Unidades Básicas de Saúde, quatro hospitais com atendimento pelo SUS, um Centro Especializado de Saúde, um Hemocentro Regional, e quatro unidades de Vigilância em Saúde, além de sete programas municipais da saúde pública de Caxias.

Carteira recheada, expansão na mira
Além da prefeitura caxiense, as de Santa Maria, Erechim, Garibaldi e Panambi, além da Câmara de Vereadores de Caxias e Santa Maria, entre outras, também recheiam a carteira de clientes da área pública da Integrasul.

Já no setor privado, a empresa focada em soluções para gerenciamento e segurança de infraestrutura de TI atende a nomes como Mundial, Dakota, Oderich e Soprano.

Ao todo, a carteira de ativos chega a 160 nomes. Este ano, a meta é incrementar este número em mais 50.

Quanto ao crescimento, a empresa planeja alta de 30%. Em 2010, a expansão da receita foi de 55%, segundo Pacheco.

O portfólio da Integrasul reúne produtos da Trend Micro, Red Hat e Zenoss, além das soluções próprias NAC e NAC-Projetos – seus carros-chefe.

Toda equipe de técnicos e analistas da empresa caxiense tem formação acadêmica e certificações LPI, Mandriva, Microsoft e Trend Micro.