A YKP entra na nuvem para pescar.

Explica-se: a companhia, especializada em integração de sistemas, prepara para março de 2012 o lançamento oficial da Yorbis, spin off criada para oferecer cloud computing fundamentada no conceito de compras coletivas.
 
“Vamos refletir o efeito da compra em cardume sobre o preço do serviço de computação em nuvem, atendendo a empresas com faturamento na casa dos R$ 50 milhões anuais com soluções de ponta a ponta – do ERP à gestão de comércio exterior”, contou o presidente da YKP, Yim King Po, com exclusividade ao Baguete Diário.
 
Na prática, a Yorbis oferece uma nuvem privada compartilhada, projetada para ser ocupada por até seis companhias, cada uma em ambiente segregado, com seu próprio servidor virtual.
 
“Em uma nuvem ocupada por seis empresas, a oferta gera 50% de economia em um projeto envolvendo licenciamento de software de gestão, projeto, infraestrutura de armazenamento e processamento, além da operação do ambiente”, garante Sidney Zacarias, superintendente de Business Development da YKP.
 
E é aí que entra o conceito de compra coletiva: uma empresa pode até entrar sozinha na nuvem da Yorbis, mas tem mais vantagem se buscar grupos de seu segmento para compor o “condomínio” de seis players na mesma nuvem, já que cada nova entrante gera desconto médio de 20% no valor cobrado a anterior.
 
“Na compra individual, a empresa paga mais pela adesão, mas quando uma segunda companhia entra na mesma nuvem, o valor mensal e total cai para a primeira, e assim sucessivamente. É uma oferta baseada em escala”, comenta Zacarias.
 
Nos projetos, em média 60% da oferta segue um formato padrão, especialmente em sistemas de armazenamento e soluções horizontais, e outros 40% ficam disponíveis para as customizações necessárias a cada cliente.
 
Para prestar o atendimento, a Yorbis vai disponibilizar equipes de profissionais especializados nas demandas de cada vertical.
 
Completa
A nuvem da Yorbis conta com soluções como ERP e CRM (Oracle), para a área fiscal (Mastersaf), de e-commerce (Smart Commerce, da IBM) e para gestão de comércio exterior (Softway).
 
A infraestrutura de data center é com a UOL Diveo.
 
A união que fortalece
Não é só para os clientes de cloud da YKP que a coletividade traz vantagens: a própria companhia também se beneficia da aliança com parceiros, como ocorre no caso da Softway.
 
A empresa de Campinas especializada em software de gestão para importação e exportação com quem a YKP firmou parceria há cerca de três meses tem investido em uma ampliação nacional que pode fomentar os negócios da integradora, inclusive no Sul.
 
Apesar de ter unidade em Porto Alegre, de onde atende a clientes de peso, como AGCO e Herc, a YKP ainda tem menos de 5% de seus negócios na região.
 
A Softway, por seu lado, abriu na capital gaúcha e em Curitiba – além de Belo Horizonte – este ano, em uma estrutura que se somou a sede campinense e a operação já mantida no Rio de Janeiro.
 
“No Sul, nossa meta é obter crescimento em torno de 60% ao longo de 2011, obtendo R$ 5 milhões em novas vendas”, afirma Menotti Antonio Franceschini Neto, diretor-executivo da empresa e responsável pelas filiais.
 
É um ritmo acelerado frente aos resultados nacionais da empresa, que em 2010 cresceu 12,5%, atingindo R$ 45 milhões, e mesmo frente à média histórica de 30%.
 
“Podemos crescer no Sul acima da média nacional. É o que sinaliza o crescimento dos clientes que já temos e as possibilidades de abrir novas contas”, acredita Franceschini Neto.
 
A parceria também fomenta os negócios em geral, já que, das 500 maiores importadoras e exportadoras do Brasil, 50% são clientes da Softway, explica o gerente de Canais e Alianças da empresa, Vinícius de Souza Pacheco.
 
Ele explica que, com a YKP, a parceria surgiu de um novo programa de canais recentemente lançado pela empresa do interior paulista.
 
“A meta é chegar a 11 canais até o fim deste ano”, comenta Pacheco. “Nossos parceiros são grandes consultorias, com experiência em vendas e entrega de soluções, como é o caso das nossas atuais aliadas – YKP, Stefanini, Walar, entre outras”, ressalta.
 
Com o programa de canais, o objetivo é sair de um modelo de vendas exclusivamente direto para outro em que cerca de 30% seja indireto.
 
“Não queremos mais crescer, aumentar equipe, de venda direta: as vendas deverão crescer via canal”, assegura Pacheco.
 
Mais força
Outra parceira forte da YKP é a Oracle –hoje, as soluções da multi norte-americana respondem por 45% dos negócios da integradora.
 
Aliada da Oracle desde 1990, a companhia é responsável por mais de 300 projetos baseados na plataforma da parceira.
 
Especializada na linha JD Edwards, durante o Oracle Open World 2011 a YKP também aproveitou para anunciar o incremento da oferta com integrações relacionadas a Oracle BI Suite Enterprise Edition e Oracle Database 11g.
 
Além da sede em São Paulo e da unidade porto-alegrense, a integradora também conta com unidades em Campinas, Ribeirão Preto e Rio de Janeiro.
 
Ao todo, a companhia, que este ano projeta crescer 15% sobre 2010, emprega cerca de 350 colaboradores, que atendem a clientes como Bradesco, Banco Safra, Correios, Avon, Claro e Electrolux, entre outros.

Gláucia Civa cobre o Oracle Open World - Java One 2011 a convite da Oracle.