Aurus Software, Ci&T, GFT e Stefanini TechTeam  vão representar o Brasil no Forrester’s IT Fórum EMEA 2011, que acontece de 08 a 10 de junho em Barcelona.

O grupo, organizado pela Softex e Brasscom, em parceria com Apex-Brasil, vai se apresentar sob a marca Brasil IT+, projeto para internacionalização da indústria brasileira de software e serviços de TI.

Conforme Marco Stefanini, fundador e presidente da Stefanini IT Solutions, a perspectiva para geração de negócios no evento é promissora.

“Principalmente pela nossa forte presença na Europa, onde operamos em 12 países, com 1,4 mil funcionários, e já atendemos a mais de 70 empresas”, destaca o executivo. “Oferecemos flexibilidade muito maior em comparação aos players europeus e nossos serviços estão disponíveis em 32 línguas, o que é um grande diferencial”, acrescenta.

Já Luiz Cota, diretor da Aurus, aposta no evento para divulgar na Europa a plataforma de gerenciamento de serviços e processos de negócios da companhia.

“Prestamos nossos serviços através de parcerias que dispomos no mundo todo, como em Madri. Já atendemos a clientes na Europa, África e Oriente Médio, o que nos dá visibilidade cada vez maior junto a esses mercados”, destaca o executivo.

A GFT, por sua vez, atende ao exterior por meio de um centro de desenvolvimento no Brasil.

“É um dos pilares de nosso Global Delivery, modelo de gestão global dos recursos da companhia que permite designar o especialista mais adequado às necessidades de cada projeto, independentemente de sua localização”, explica Carlos Eres, diretor-geral da GFT Espanha e Brasil.

O Brasil, segundo ele, é a “plataforma ideal” para a GFT na prestação de serviços e soluções offshore para clientes do setor financeiro no mundo todo, especialmente na Alemanha, Reino Unido e EUA.

Pela Ci&T, o CEO César Gon ressalta que, hoje, um volume de 35% da receita é gerada com exportação de outsourcing de aplicações.

“Oferecemos atendimento global por meio de centros de desenvolvimento no Brasil, Argentina e China, além de escritórios no Brasil, EUA, Europa e Japão”, afirma Gon.

A carteira de clientes globais da empresa conta com nomes como Coca-Cola, Honda, Johnson & Johnson, McDonalds, Divx e Yahoo!.

No Forrester’s IT Fórum EMEA 2011, as quatro companhias brasileiras contarão com estande coletivo e suporte para divulgação de seus materiais aos mais de 700 conferencistas esperados para os três dias de evento.

A programação também conta com participação em rodadas de negócios, palestras e debates.

“O fórum propicia a estruturação de parcerias e a discussão de novas tecnologias emergentes, seu impacto no futuro das organizações e da indústria”, afirma Arnaldo Bacha, vice-presidente executivo da Softex.

Segundo ele, a presença brasileira ainda não é forte nos mercados do Oriente Médio e Europa: hoje, das exportações nacionais de TI, os EUA ficam com 70%, a América Latina com 16%, o mercado europeu com 12% e o Oriente Médio/África com mero 1%.

Entretanto, conforme Bacha, estes são mercados que merecem atenção, já que estão em expansão e tendem a ser cada vez mais considerados nos processos de internacionalização da entidade.

“Há um bom tempo estamos monitorado oportunidades, principalmente nos setores de aviação, petróleo, finanças e de serviços de TI”, destaca Bacha. “O estabelecimento de parcerias pode favorecer uma expansão mais rápida de nossas companhias nessas regiões”, salienta.

Já Antonio Gil, presidente da Brasscom, analisa que existe um grande potencial para ser explorado, especialmente em segmentos como financeiro, de óleo e gás, manufatura e governo eletrônico.

“Nossos sistemas para estas áreas podem trazer significativas contribuições à competitividade em outros países”, finaliza o gestor.