Um estudo realizado pela consultoria Dynamic Markets indica que grandes empresas, especialmente da Europa, desperdiçam altas somas com softwares que simplesmente não são utilizados por seus colaboradores.

De acordo com a pesquisa, 81% dos funcionários entrevistados acreditam que suas redes corporativas armazenam programas e dados que não são úteis para o cotidiano da corporação, mas que causam um significativo impacto de tempo e de gerenciamento.

Entre os entrevistados, 75% disseram que suas instituições possem aplicações que não foram utilizadas nos últimos três anos.

Em média, elas representaram um quarto do número total de recursos instalados nos sistemas.

Segundo o estudo, o problema é nítido em corporações com mais de mil funcionários. A Dynamic Market estima que o gasto seja superior a US$ 2,78 milhões por ano.

Além disso, 86% dos profissionais de TI acreditam que os sistemas corporativos funcionariam com mais eficiência se tais aplicações fossem totalmente removidas, informa o ComputerWorld.

Outro indicativo do estudo é que os profissionais voltados para departamentos de vendas e marketing estão menos dispostos a mudar quando se trata de software e aplicações para sistemas existentes.

Nessas áreas, 46% dos especialistas em TI afirmam que os aplicativos não utilizados não seriam removidos de seus sistemas corporativos porque os dados poderiam ser necessários em uma data posterior.