Luiz Ricardo Martins

A Disys, norte-americana especializada em consultoria, integração de sistemas, vendas e serviços de hardware e software e soluções de computação móvel, vai abrir em julho uma unidade no Tecnosinos, parque tecnológico da Unisinos, em São Leopoldo.

A inauguração da unidade - que confirma a informação antecipada pelo Baguete Diário em abril deste ano – se dará em função do atendimento a um contrato de gestão do conhecimento (KM, do inglês knowledge management) fechado com um cliente de grande porte.

O executivo de Negócios da Disys do Brasil, Luiz Ricardo Martins, não revela o nome da empresa por nada, apenas define como uma grande indústria do setor de aço.

Aqui entre nós... Gerdau? É bem possível.

Para atender ao contrato, dez funcionários iniciarão os trabalhos no Tecnosinos, mas até o fim do ano a meta é duplicar a equipe.

E este não será o único investimento da Disys no Rio Grande do Sul: ainda este ano, a companhia sediada em Chantilly, Virgínia, irá abrir um escritório de projetos e fábrica de software em Porto Alegre.

Na capital, o motivador também é um contrato fechado com uma grande empresa, esta do setor de tecnologia, para a qual a Disys atenderá na área de outsourcing de sistemas. Fontes do mercado apontam que o cliente é a GetNet, empresa de integração de meios de pagamento de Campo Bom.

“Na capital gaúcha, abriremos com cerca de 30 pessoas, mas a ideia é aumentar o quadro para 100”, explica Martins.

Com a relevância dos contratos que tem rendido à Disys, hoje o Rio Grande do Sul representa em torno de 35% da receita nacional da companhia. Somando-se o estado com a unidade de Curitiba – onde está em vias de fechamento um novo contrato de suporte a vendas com uma multinacional -, a participação de toda a região Sul fica em 70% do total.

“A partir do Paraná, por exemplo, atendemos a um contrato global nas áreas de SAP, infraestrutura e service desk. Prestamos serviços para o cliente nos Estados Unidos, Europa, Ásia e América do Sul”, conta o gestor de Negócios da companhia no país.

De POA para o mundo
E por falar em atendimento ao exterior a partir do Sul, está em andamento um projeto para exportação de soluções e serviços na área de Knowledge Management a partir de Porto Alegre.

“Ainda este ano iniciaremos a exportação desta linha, que foi desenvolvida pela equipe gaúcha da empresa”, afirma Martins.

No Sudeste
Além de Rio Grande do Sul e Paraná, a Disys também conta com unidade em São Paulo.

Para ampliar os ganhos com esta regional, a companhia acaba de fazer uma reformulação na área comercial, que ganhou uma nova gerente.

Trata-se de Alessandra Vacek Gordilho Costa, executiva formada pela University of Massachusetts, Boston, e que soma no currículo passagens por empresas como BPO e IT Consulting.

KM
A nova linha de serviços, desenvolvida pelo pessoal gaúcho da Disys, aplica a metodologia de gestão do conhecimento para auxiliar no processo de melhoria contínua de rotinas dos clientes, otimizando o compartilhamento de informações e gerando redução, por exemplo, no tempo de treinamento das equipes.

Os serviços englobam documentação de processos e procedimentos técnicos, unificação de base de conhecimento, consultoria de implementação da gestão do conhecimento e avaliação do nível de maturidade deste processo nas empresas.

A empresa
A Disys do Brasil é subsidiária da Digital Intelligence Systems Corporation, que opera com 15 escritórios nos Estados Unidos e outras quatro subsidiárias na América Latina, Europa e Ásia.

A carteira global de clientes da Disys conta com mais de 100 nomes, nas áreas bancária, de óleo e gás, tecnologia, governo e educação, entre outros.