A SAP assume a responsabilidade pela violação de propriedade intelectual da Oracle, em um processo que corre desde 2007 nos Estados Unidos, porém afirma: os danos de US$ 1 bilhão reclamados pela empresa norte-americana são superestimados e "tiram o foco do verdadeiro problema".

O anúncio da fabricante alemã de software ocorreu na quinta-feira, 05.

O processo envolve acusações contra a SAP por meio da TomorrowNow, sua subsidiária que revendia software da Oracle. A unidade foi acusada de acessar ilegalmente os bancos de dados da companhia americana para baixar os códigos de seus produtos, violando a propriedade intelectual da empresa.

Conforme as acusações, a TomorrowNow usava senhas de usuários para ter acesso aos produtos e depois os copiava.  

A SAP chegou a contestar as declarações, mas em comunicado à corte dos EUA, concluiu, recentemente, que não irá mais argumentar em contrário. Apesar disso, a companhia alega que não estava envolvida nas violações de patente, cuja autoria seria da TomorrowNow.

Segundo Werner Brandt, diretor financeiro da SAP, a atitude de acatar a responsabilidade sobre as denúncias mostra o interesse da companhia na solução do caso, mas a isenta de qualquer envolvimento no caso.

Brandt afirma que a companhia alemã descobriu os erros da subsidiária há três anos e que em seguida à descoberta teria começado a agir “no interesse da Oracle, inclusive fechando a empresa".

O caso será julgado pela corte norte-americana no dia 1º de novembro.