Um estudo do Great Place to Work mostra que 43% dos postos de trabalho das 100 empresas que integram a edição 2009 do ranking Melhores Empresas para Trabalhar – Brasil são ocupados por mulheres, sendo 36% postos de liderança.

As empresas pesquisadas somam 403.587 profissionais, dos quais 174.902 são mulheres – 19.586 em postos de chefia.

“Para se ter uma ideia da ascensão feminina no ambiente corporativo brasileiro, em 1997 apenas 11% dos cargos de liderança eram ocupados por mulheres. Nos Estados Unidos, em 2009, das 100 Melhores Empresas para Trabalhar, apenas quatro têm mulheres na presidência”, afirma o estudo.

Mais confiáveis
O levantamento do GPW no Brasil revela, ainda, que nas empresas presididas por mulheres – como Brasilata, Ericsson, Byofórmula, Cultura Inglesa, Instituto Itaú Cultural, Laboratório Sabin e Magazine Luiza – o índice de confiança dos funcionários é maior: 83%, versus 81% nas companhias lideradas por homens.

Menos satisfeitas
Em contrapartida, as mulheres demonstram níveis de satisfação menores do que os homens: na média geral, o índice de satisfação é de 83% entre os colaboradores masculinos, contra 76% entre as femininas.

“As Melhores Empresas para Trabalhar – Brasil buscam incorporar à gestão características femininas, como maior capacidade de delegar, facilidade no relacionamento interpessoal, talento para gerir equipes e poder de negociação”, avalia Ruy Shiozawa, CEO do Great Place to Work. “É uma evolução, pois o cenário era outro quando iniciamos a pesquisa, há mais de uma década”, acrescenta.

Confira a lista completa das Melhores Empresas para Trabalhar – Brasil 2009 cujas líderes são mulheres:

- Brasilata: Amélia Ramos Heleno
- Byofórmula: Yukiko Eto
- Cultura Inglesa: Maria Lucia Willemsens
- Ericsson: Fatima Maria Queiroga Raimondi
- Instituto Itaú Cultural: Milu Vilella
- Laboratório Sabin: Janete Ana Ribeiro Vaz e Sandra Santana
- Magazine Luiza: Luiza Helena Trajano Inácio Rodrigues
- Prezunic: Andrea Dias da Cunha
- Quintiles Brasil: Marisa Sanvito
- Zanzini Móveis: Palmyra Benevenuto Zanzini

Em 2008, das 100 melhores companhias para trabalhar avaliadas pelo GPW no país, oito contavam com mulheres na presidência: Byofórmula, Cultura Inglesa, Laboratório Sabin, Magazine Luiza, Okto, Prezunic, Quintiles Brasil e Zanzini Móveis.